Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Prefeitura de Manaus realiza nesta quarta-feira, 12/8, às 15h, a última edição da série especial de lives intituladas “Educação Pós-Pandemia”. O tema para o encerramento do projeto será “Educação e Tecnologia- Ensino Híbrido”. O objetivo é consolidar a construção de conhecimento no ambiente virtual de aprendizagem, principalmente durante o enfrentamento à Covid-19. 

Os convidados da live são o pesquisador do Massachusetts Institute of Technology (MIT) Media Lab e diretor da Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa, Leo Burd, e o coordenador de Telecentro do Cemeja, Samuel Isaac Benchimol, e o assistente de gerente de Projetos pela Fundação Vitória Amazônica, Zevaldo Sousa.  A secretária Kátia Schweickardt será a mediadora.

De acordo com a secretária, os três eixos abordados na trilogia educacional já eram assuntos tratados antes da pandemia, e que ficaram evidentes durante o enfrentamento ao novo coronavírus: “Educação Integral”, assunto da primeira live, “Engajamento Familiar”, abordado na segunda transmissão, e “Educação & Tecnologia”.

“Nossa proposta é, por meio desta trilogia, consolidar nesse novo meio de comunicação de construção e de conhecimento, um ambiente de aprendizagem virtual. Trazer para frente desses veículos nossa experiência desenvolvida ao longo da gestão do prefeito Arthur Virgílio Neto, que se consolidou em uma série de conquistas. E também com os aprendizados e experiências durante o enfrentamento da Covid-19. Tudo isso somado ao que queremos deixar de legado para este momento que estamos chamando de pós-pandemia”, explicou a secretária Kátia Schweickardt.

Ensino Híbrido

De acordo com Leo Burd, apesar de todo o sofrimento causado, a pandemia acabou abrindo uma série de oportunidades para quem trabalha com educação.

“Em especial, a pandemia tornou ainda mais óbvio o papel que a tecnologia tem de conectar os alunos e estender a sala de aula para além de suas paredes físicas. Em muitos casos, a quarentena também deixou bem claro que, por melhor que seja a escola e, por mais que haja algum tipo de conectividade, a qualidade da educação depende diretamente de uma parceria firme entre os professores e os familiares dos alunos”, disse Leo Burd.

“Vivemos uma oportunidade única de impactar a educação de forma significativa e duradoura. Ao invés de esperar voltar para o que era antes, o ideal seria aproveitar o momento para alinhar a escola à realidade do século 21.  A hora é agora, devemos fazer o possível para não deixá-la passar”, acrescentou.

Exemplos em Manaus

Em unidades como no Centro Municipal de Educação de Jovens e Adultos (Cemeja), o ensino híbrido já era adotado mesmo antes da pandemia. O coordenador de telecentro da unidade, Zevaldo Souza, que participará da live, conta que ele atua com o projeto piloto de educação semipresencial no Cemeja.

“Nesse projeto, eu atuo como tutor pedagógico auxiliando os alunos que ficam no período a distância. Então dois dias da semana eles ficam com professor e nos três dias restantes eles precisam fazer aulas a distância, isso desde o ano passado. Esses estudantes precisam do meu apoio para acessar o portal Cemeja, como também para auxiliar nas dificuldades que esses alunos têm em utilizar o portal”, contou.

Zevaldo atua com tecnologia de educação desde os 17 anos, tendo trabalhado, inclusive, como formador no projeto Profuturo Aulas Digitais, entre 2017 e 2019 e como assistente de projetos, atualmente.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •