Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

As obras de restauro feitas atualmente pela prefeitura e que visam revitalizar o antigo prédio da Câmara Municipal de Manaus (CMM) foram acompanhadas pelo presidente da casa legislativa, Joelson Silva (PSDB), nos últimos dias. O trabalho atende a uma demanda dos próprios vereadores e tem previsão para ser concluído até o fim deste ano, como parte das comemorações alusivas aos 350 anos da cidade de Manaus, que serão comemorados no próximo dia 24 de outubro.

Joelson Silva comemorou o avanço dos serviços e disse que, além de resgatar a memória do imóvel, marca o reencontro entre passado e presente de uma história que o tempo e os escombros do local não conseguiram apagar.

“Essas obras são de vital importância para a memória viva da nossa cidade, pois nos remotam ao trabalho feito por grandes parlamentares que passaram por aqui e deixaram um legado para todos nós, manauaras”, destacou o parlamentar.

As obras no prédio antigo da CMM são executadas pela Prefeitura de Manaus, sob a coordenação do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb). O trabalho faz parte do programa de revitalização do centro histórico com serviços de demolição, retirada de revestimentos e escavações para restauro arquitetônico. A revitalização do prédio – que estava fechado há aproximadamente sete anos – é feita com recursos próprios do tesouro municipal, e é executada pela empresa Biapó Construtora.

A empresa tem um prazo de 13 meses para finalizar toda a obra. O objetivo é resgatar as características originais do imóvel o mais perto possível da sua originalidade.

Transição

Instalada na Avenida Sete de Setembro em 1884 e reformada pela última vez em 2004, com pequenos reparos para acomodar melhor os vereadores, o imóvel seria fechado em seguida e, em 2006, a CMM passaria a funcionar no bairro de São Raimundo, zona Oeste.

Ao retornar ao antigo prédio, Joelson Silva lembrou que o momento de transição foi importante para que a Câmara pudesse expandir seus projetos e trabalhos em prol da população.

O parlamentar assumiu a CMM em janeiro deste ano, com o objetivo prioritário de implementar uma política de modernização na casa legislativa, que abrange desde a instalação da Rádio Câmara Cidadã e da TV Câmara (em canal aberto), ao funcionamento de um novo painel eletrônico na nova sede legislativa municipal.

“Muitas vezes desci a esse plenário, mesmo quando não trabalhava aqui. É importante saber que a gente tem parte nessa história”, recordou Joelson Silva, que trabalhou como assessor e membro da mesa diretora no antigo prédio da CMM, por dois anos, período em que teve maior contato com o regimento interno da casa e interou-se bem sobre Lei Orgânica do Município (Loman).

O convívio com políticos como Jefferson Peres, Serafim Corrêa, Bosco Saraiva, Ari Moutinho, Chico Preto, Paulo Jorge, Leonel Feitosa, Plínio Valério, Omar Aziz, Expedito Teodoro, Messias Sampaio, Paulo Nasser, Isaac Tayah, entre outros, também ajudou muito nesse processo de adaptação aos trabalhos na CMM.

“São pessoas importantes, que também ajudaram ou ainda ajudam a construir o que hoje se tornou a Câmara de Manaus. Fiz questão de vir aqui, para deixar isso registrado, tanto para as novas gerações quanto para as pessoas que nos conhecem. Que possam dar continuidade a tudo isso”, concluiu o presidente da CMM.

Fatos importantes sobre o antigo prédio da CMM

1884 – Instalada a sede da Câmara Municipal de Manaus, na Avenida Sete de Setembro;

1917 – O prédio é cedido ao Governo do Estado, por meio de um contrato de comodato, com duração de 50 anos e sem ônus para os cofres públicos, salvo as despesas com manutenção, reparos e limpeza.

De 1947 a 1974 – A Câmara passa a funcionar no prédio da Prefeitura (Paço da Liberdade) e fica sob o ‘domínio’ do Executivo Municipal;

1974 –  Prédio da Sete de Setembro é devolvido pelo Governo do Estado. Local passa por reforma para receber os 11 vereadores da 7ª Legislatura;

1982 –  Nova reforma é realizada, dessa vez para abrigar 21 vereadores;

1985-1986 – Para acolher gabinetes, piso do imóvel é rebaixado para introdução de um novo andar, sem a necessidade de elevação do telhado. Escadas são construídas nas laterais do hall da porta principal, para permitir o acesso aos novos espaços criados;

1989 – Plenário Adriano Jorge recebe novas modificações, na disposição de mesas e cadeiras destinadas aos vereadores, com o objetivo de possibilitar o acesso de pessoas com deficiência física ao local. No mesmo ano, parte do teto de gesso do plenário desaba a CMM passa a utilizar outro prédio, na Rua José Paranaguá, para realizar as sessões plenárias e para utilização dos setores de apoio, como taquigrafia, secretaria e outros. O retorno à Sete de Setembro ocorre em março do mesmo ano.

1993-1994 – Prédio é reformado novamente, com o intuito de abrigar os 33 vereadores. Na ocasião, cria-se um novo pavimento para abrigar dez novos gabinetes.

1999 – Após vistoria do Corpo de Bombeiros e do CREA, a sede do Legislativo Municipal passa por mais uma reforma. Durante esse período, as atividades legislativas ocorrem no plenário da Assembleia Legislativa do Estado;

2004 – Pequenas reformas são efetuadas para acomodar melhor os vereadores, e construção de uma nova sede para a CMM é aprovada. Dois anos depois, passaria a funcionar no bairro de São Raimundo, zona Oeste.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •