Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Um procurador extraordinário foi nomeado para avaliar denúncias contra o presidente da Fifa, Gianni Infantino, e o procurador-geral Michael Lauber, sob suspeita de conluio, anunciou nesta sexta-feira a Autoridade de Vigilância do Ministério Público da Confederação Suíça (AS-MPC).

Stefan Keller, presidente do Supremo Tribunal e presidente do Tribunal administrativo do cantão de Obwald, agora terá a tarefa de examinar as denúncias criminais que foram transmitidas ao AS-MPC em 11 de junho. Outra denúncia também foi recebida “relacionada aos mesmos eventos”, afirmou o Órgão de Fiscalização.

O promotor extraordinário terá que estimar se as denúncias são infundadas ou não, e se o procedimento deve continuar.

Um dos elementos desse caso são as três reuniões informais entre Infantino e Lauber, em 2016 e 2017.

Lauber foi sancionado com uma redução de 8% de seu salário, uma punição que ele recorreu perante o Tribunal Administrativo Federal.

A Fifa nunca negou as reuniões entre Infantino e Lauber, mas ressalta que o objetivo era mostrar que a Federação Internacional de Futebol “está pronta para colaborar com a justiça suíça”.

Em um comunicado, a Fifa “comemora” nesta sexta-feira a decisão de nomear “sem demora” a figura do promotor extraordinário.

A entidade garante que continuará com “uma cooperação plena e transparente com as autoridades suíças” e deseja que “queixas anônimas sejam tratadas o mais rápido possível”. (Gazeta Esportiva)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •