Diego Lima (no detalhe) foi preso em julho de 2016 por policiais da DERFD
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O professor de educação física do Centro de Educação Integral (CETI) Áurea Pinheiro Braga, Diego Lima Araújo, 36, foi morto a tiros na manhã desta quarta-feira (16), em Manaus. O crime ocorreu por volta das 07h no Beco Santa Maria na Rua União, no Bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus.

De acordo com a polícia, o professor tinha acabado de sair de casa para trabalhar quando foi morto. A suspeita é de um homem que entrou no beco acompanhado de uma mulher, ainda não identificados, tenha sido o autor dos disparos.

Moradores afirmam que ele foi vítima de latrocínio e que não acreditam que a morte dele tenha sido por envolvimento em crime de 2016.

“Ele foi visto saindo do beco assim que as pessoas ouviram os disparos”, disse um policial, informando que mulher não saiu mais acompanhando o suspeito do crime.

Vítima respondia por assalto

Policiais informaram que Diego Lima foi preso em julho de 2016 com mais quatro: Pedro Antônio Nascimento, 23; Sérgio do Nascimento Batista, 21; Gabriel de Souza Moreira, 19, e Leandro da Silva Barbosa, 19, suspeitos de assaltarem o jornal A Crítica no dia 2 de junho.

Na Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derdf), Gabriel era terceirizado da empresa de comunicação e trabalhava no terceiro turno, confessou ser o responsável em passar as informações para Leandro que fez a ponte com Pedro e Sérgio, que assaltaram A Crítica.

Os dois chamaram Diego, professor de física na rede pública de ensino, que ficou esperando os assaltantes no carro. De acordo com a polícia o carro utilizado na fuga do bando era da tia de Diego, um veículo de modelo Fiesta, de cor vermelha.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •