Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

De acordo com o deputado estadual Belarmino Lins (PP), os progressistas não abrirão mão do seu direito de participar da CPI da Saúde, e por isso pedem a revisão dos cálculos que determinaram a composição da Comissão Parlamentar de Inquérito criada para investigar supostas irregularidades no sistema de saúde do Estado.

Em discurso no final da sessão virtual da Aleam, no início da tarde desta quarta-feira (27), o líder progressista assegurou que o deputado Josué Neto (PRTB), presidente da Casa Legislativa, adotou uma versão equivocada acerca das regras regimentais para a formação da CPI.

“Quando você decide a Presidência para um bloco partidário, a relatoria tem que ir para o outro bloco, mas quando as duas coisas vão para um mesmo lado, aí ninguém vai a lugar nenhum”, detalhou o parlamentar.

Belarmino disse não acreditar que Josué seja o autor das manobras que tentam, de todas as formas, atropelar o Regimento Interno e alijar os progressistas da CPI.

“Ora, a nossa representante na CPI seria, ou será, a deputada Mayara Pinheiro, exatamente a presidente da Comissão de Saúde da Aleam, e no entanto, de forma ilegal, ela foi excluída da Comissão”, discursou.

A exemplo do colega deputado Felipe Souza (Patriota), Belarmino apresentou requerimento solicitando a imediata revisão dos critérios que nortearam a constituição da Comissão.

“Se nada der resultado, confessamos que, bastante irresignados, os progressistas serão compelidos a ingressar na Justiça buscando a reparação de um ato que não consideram justo”, avisou Belarmino.

Antes de encerrar a reunião legislativa, Josué Neto disse acatar o requerimento do líder progressista e marcou para quinta-feira (28) uma nova reunião com as lideranças partidárias para tratar da constituição da CPI. “Conte com minha compreensão e aceite meus respeitos e minha amizade, deputado Belarmino Lins”, finalizou Josué.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •