Flávio Rodrigues foi assassinado e seu corpo encontrado na última segunda-feira, dia 30/09 no Tarumã (Foto Reprodução do Facebook)
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O promotor Igor Starling Peixoto, que atua na 2ª Vara do Tribunal do Júri, afirmou que vai trabalhar respeitando autonomia das instituições. Ele foi designado, na tarde da segunda-feira (8/10), para acompanhar os procedimentos policiais junto à Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), referente ao assassinato do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos, fato ocorrido na noite do dia 29 de setembro de 2019.

De acordo com o promotor a ideia é reforçar a atuação do Ministério Público, uma vez que o MP já tem estado presente no caso na figura da Promotora de Justiça Clarissa Brito.

“Nossa função será a de somar esforços com a Polícia Civil para solucionar todos os fatos ocorridos e entregar a investigação para a titular da ação, Dra. Clarissa (Brito). As instituições caminham juntas, com respeito recíproco, porém com independência de atuação. No entanto, buscaremos adotar linhas de atuação convergentes para otimizar as investigações, sem repetição de atos. Nos reuniremos e adotaremos nossas estratégias, repise-se, com o objetivo de que não haja lacunas na busca da responsabilização de todos os envolvidos”, disse o promotor.

Entenda o caso

Flávio Rodrigues dos Santos foi encontrado morto na segunda-feira, em um terreno no Tarumã, Zona Oeste de Manaus.

A vítima estava desaparecido desde a noite de domingo, após participar de uma festa no condomínio de luxo, que fica Ponta Negra, também na Zona Oeste da cidade.

As investigações estão sendo tocadas pelos delegados, Aldeney Gomes, do 19º Distrito Integrado de Polícia e Paulo Martins, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •