O prefeito Adenilson Reis (no detalhe) construiu o cemitério em uma área verde
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Promotoria de Justiça de Nova Olinda propôs no dia 03 deste mês, por meio de Ação Pública, à Vara Única de Comarca do Município, a interdição da área de ampliação do cemitério da cidade que foi autorizada pelo prefeito Adenilson Lima Reis a partir do aumento de óbitos com a chegada do novo coronavírus.

Assinada pelo promotor Kleysou Nascimento Barroso, a ação sugere, também, que a prefeitura seja proibida de realizar qualquer sepultamento na área em questão até a concessão do licenciamento ambienta.

Segundo o promotor, os serviços (sepultamento) nos cemitérios são considerados atividade de potencial risco de contaminação ambiental provocado pelo necrochorume resultante do processo de decomposição de cadáveres.

“Importante ressaltar que os resíduos da decomposição dos corpos podem contaminar o lençol freático, uma das principais fontes de extração de água para o consumo humano”, destaca Kleysou Nascimento.

A Promotoria de Justiça de Nova Olinda recebeu no mês de junho denúncia de instalação de um cemitério em uma área verde, onde estariam sendo sepultadas as vítimas fatais do novo coronavírus (covid-19).

O local ficaria no Bairro Chicolândia e, segundo o denunciante, não teria o devido licenciamento ambiental.

Confira a Ação

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •