Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os policiais militares William dos Santos Reis Junior e Elton Aparício de Oliveira, da 1ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), acusados de estuprarem uma mulher dentro de uma viatura do Ronda no Bairro, foram denunciados na última sexta-feira (4) pela promotora de justiça Maria da Conceição Silva Santiago, da Auditoria Militar, por estupro e obstrução de câmera do veículo policial.

Na denúncia a promotora afirma que a vítima, sob o poder de dois policiais militares armados, não teve possibilidade de defesa. Maria da Conceição diz ainda que mesmo a obstrução do equipamento de vídeo da parte interna da viatura, após a vítima ser deixada no local da abordagem, as câmeras externas da viatura gravaram toda a “ação grotesca e hedionda dos acusados”.

Na Corregedoria a vítima disse que o suposto estupro teria ocorrido em um beco no bairro São Francisco, Zona Sul de Manaus. Ela disse que estava com seu namorado na rua Sátiro Dias, no mesmo bairro, quando foi abordada por policiais em uma viatura do Ronda no Bairro e foi obrigada a entrar no veículo e seguiu com os policiais a um beco escuro que não sabe dizer onde fica.

“Os acusados levaram a vítima para um local ermo e bastante escuro onde pararam a viatura, extinguindo qualquer possibilidade de defesa da vítima, visto que dentro de uma viatura da Polícia Militar e dois policiais armados inclusive…”, afirma o documento da corregedoria.

Entenda o crime

Os policiais militares Willian dos Santos Reis Junior e Elton Aparício de Oliveira, acusados de na madrugada no dia 21 do mês passado estuprarem uma mulher dentro de uma viatura do Programa Ronda no Bairro.

De acordo com denúncia feito pela vítima o suposto estupro teria ocorrido em um beco no bairro São Francisco, Zona Sul de Manaus. Em depoimento na Corregedoria a vítima disse que estava com seu namorado na rua Sátiro Dias, no mesmo bairro, quando foi abordada por policiais em uma viatura do Ronda no Bairro e foi obrigada a entrar no veículo e seguiu com os policiais.

A vítima disse que ao chegar ao beco foi obrigada a sair da viatura e colocada no banco detrás, mas com as pernas para fora e o motorista colocou a boina em cima da câmara interna na viatura e nesse momento veio um policial e estuprou e em seguida o motorista também o fez. Em seguida depois de a estuprarem a colocaram dentro da viatura e deixaram na rua Sátiro Dias.

Na Corregedoria os policiais afirmaram que foram acionados para atender uma ocorrência de prática de atos libidinosos na rua Sátiro Dias. Willian e Elton, afirmaram que ao chegar na via o casal estava nu dentro de uma Pampa, de cor azul. Mas os PMs, apesar de afirmarem terem pego os dois mantendo relação sexual dentro do veículo, não levaram a nenhum Distrito Policial.

Mas no depoimento de Willian, ele afirma que levou a vítima para comprar água e voltou ao local onde ela foi abordada com o namorado, mas no termo de Elton Aparício, ele afirma que estavam levando a vítima para prestar queixa por esta sendo agredido, mas no meio do caminho ela desistiu e pediu para voltar.


Prisão decretada

No dia 27 do mês passado, o juiz Alcides Carvalho Vieira Filho, da Auditória Militar, decretou prisão preventiva dos policiais militares William dos Santos Reis Junior e Elton Aparício de Oliveira.

O magistrado atendeu o pedido do delegado Wallace Pereira de Souza, que representou pela prisão preventiva dos soldados da Polícia Militar do Amazonas. O Ministério Público emitiu parecer favorável à decretação da prisão dos representados, considerando presentes a prova do fato delituoso e indícios suficientes de autoria, bem como a necessidade de garantia da ordem pública, a periculosidade dos agentes, a hediondez do crime e a exigência de manutenção dos princípios de hierarquia e disciplina militares.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •