Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Informações divulgadas nesta terça-feira (5) pela coluna Painel da Folha de S.Paulo destacam que as últimas declarações de Bolsonaro, de que deverá mesmo deixar o PSL e migrar para uma sigla nova, irritaram dirigentes do partido que ainda tentavam uma composição.

Essa irritação levou a chamada ala do “deixa disso” a defender a expulsão de Bolsonaro.  A proposta de expulsão será levada ao presidente do partido, o deputado pernambucano Luciano Bivar. Essa ala do PSL vai cobrar uma posição de Bivar, apontando a ele o risco de perda de apoio.

Com o partido em pé de guerra, integrantes do PSL passaram a defender a quebra do sigilo do cartão corporativo de Jair Bolsonaro. Deputados argumentam que falta isonomia ao presidente, que critica a sigla e exige a devassa nas contas do partido, mas mantém em segredo o detalhamento de gastos com alimentação e transporte. Essa ala da legenda lembra que, quando deputado, Bolsonaro reivindicava transparência no uso da verba presidencial. Agora, parece ter se esquecido do assunto.

No PSL, há quem estude recorrer ao Ministério Público Federal para pedir formalmente a descrição dos gastos do Palácio do Planalto.

O governo fornece dados sobre a despesa total da Secretaria de Administração da Presidência da República, que inclui o gabinete pessoal e órgãos vinculados, mas preserva a divulgação de informações consideradas de segurança do mandatário.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •