Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

METRÓPOLES – A Super FM, rádio de Santa Catarina acusada de homofobia contra Pabllo Vittar, se desculpou sobre o ocorrido na tarde de terça-feira 12/11. Mais cedo, prints de conversas entre ouvintes e a conta corporativa da emissora foram divulgados nas redes sociais e mostravam a empresa tecendo comentários preconceituosos contra a cantora.

Uma nota de esclarecimento divulgada no Facebook da Super FM assume que foi um erro o tom usado pelo locutor. Em uma das imagens, um ouvinte pede a música Parabéns, sucesso do álbum 111 da artista brasileira. “Olá, não tocamos Pabllo Vittar aqui. Obrigado”, responde a rádio. “Mas por que não?”, pergunta o ouvinte. “Porque não sabemos se ele é um homem ou uma mulher”, retruca o perfil corporativo.

“Pedimos desculpas por isso, o responsável pelas respostas já foi identificado e responderá internamente e administrativamente pelo ocorrido. Mas uma vez, toda a equipe da rádio pede desculpas e reforçamos que a rádio não possui posicionamentos preconceituosos de qualquer natureza. Somos contra qualquer tipo de preconceito e desrespeito”, reforça o texto.

Nota de EsclarecimentoDevido ao ocorrido no dia de hoje a Direção e a Equipe Da Super FM vem esclarecer.Sabemos que…

Posted by Rádio Super FM – 89,1 Papanduva on Tuesday, 12 November 2019

Antes mesmo da nota, uma postagem afirmava: “Daqui a pouco você ouve na Super FM, a mais pedida do dia!PARABÉNS, DA CANTORA PABLLO VITTAR!”. Nos comentários, muitos fãs felizes com a repercussão do caso e subsequente atitude da emissora. A publicação dos prints no Twitter fez com que diversos deles, de várias cidades do país, começassem a enviar mensagens pedindo o hit.

Rádio é acusada de homofobia por não tocar hits de Pabllo Vittar


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •