Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Companheiro de PC Siqueira no canal Ilha de Barbados, Rafinha Bastos publicou um longo vídeo em seu canal do YouTube falando sobre as acusações de pedofilia contra o ex-colega de trabalho.

O humorista afirmou que, ao saber das denúncias, “queria vomitar tudo naquele momento”. “Eu acho que é normal esse sentimento. Por mais que eu não tenha ligação com o que aconteceu, o cara é meu colega, temos um canal juntos, fizemos uma série de projetos juntos”, disse no vídeo.

Rafinha aproveitou para rebater as críticas sobre sua relação com o youtuber. “Eu quero que vocês saibam, de cara, que nenhum pedófilo, nenhum doente, comenta essas coisas no almoço. Todos aqueles que acusam: ‘Como é que você não sabia? Vocês estavam juntos a tanto tempo’. Isso é de uma canalhice tremenda. Ninguém tinha nenhuma noção disso”, afirmou.

E continuou: “É duro ter o teu nome ligado a uma história como essa. ‘Ah, mas Rafinha, você já fez piada [com pedofilia]’. Fiz, há dez anos. Piada. Eu não estou aqui só para me tirar dessa história, mas acho importante que vocês saibam disso. Eu sou pai, e estou p´*to com essa história. Estou sofrendo, não estou conseguindo produzir conteúdo nenhum. E obviamente estou muito preocupado com a criança que está envolvida nessa história”.

Bastos comentou também sobre como o tribunal da internet vasculhou sua vida depois do episódio, mesmo não sendo ele a pessoa suspeita. “Teve gente resgatando piada minha de dez anos atrás para me ligar ao que está acontecendo. Lá atrás eu estava enchendo o saco, estava provocando. Sentia que era minha função. Sentia que era minha função como comediante empurrar essa linha, esse limite da calhordice da comédia para frente. Falei coisas que, obviamente, não falaria hoje, mas está falado. Não vou apagar tuíte antigo, faz parte da minha história”.

O ex-integrante do CQC frisou que está “tentando não cometer injustiças”. “Vocês sabem que esse é um cara que já manifestou diversas vezes instintos suicidas. Já confessou para mim em entrevista que já pensou em se matar, que já tentou. É um cara que flerta com o suicídio há muito tempo. Eu não quero que ele se mate, obviamente. Apesar de toda a raiva que eu estou nesse momento, não quero que o sujeito morra, quero que pague pelos crimes”, completou.

Entenda o caso

No dia 10 de junho, um perfil do Twitter divulgou prints de supostas conversas de PC Siqueira em que ele teria recebido a foto de uma criança de 6 anos nua. O perfil que vazou as conversas é o Exposed Emo, o mesmo que divulgou conversas do baterista Japinha. O músico foi afastado da banda CPM 22.

Na suposta conversa, PC Siqueira falaria com um amigo, que teve o nome preservador. Ele diz que a mãe da criança teria enviado as fotos da filha. “Ela parou porque sabe que pode dar merda”, teria dito o youtuber. No dia 11, ele chamou o caso de “articulação criminosa”, afirmando que “jamais cometeria” as ações divulgadas. (Metrópoles)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •