Deputados durante Sessão Ordinária da Assembleia Legislativa. Na foto, deputado Wilker Barreto (Podemos). (Foto: Danilo Mello/Aleam)
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Corpo de Bombeiros do Amazonas e Secretaria de Estado de Saúde (Susam) terão que apresentar à Assembleia Legislativa do Estado (Aleam) quais as unidades de saúde do Amazonas possuem alvará de prevenção contra incêndio. O pedido foi feito pelo deputado estadual Wilker Barreto (Podemos), por meio de requerimento, e aprovado por unanimidade pelos parlamentares da Casa, na última quinta-feira (10).

A discussão sobre o tema veio à tona após o trágico incêndio no Hospital Badim no dia 12 de setembro, na Zona Norte do Rio de Janeiro, onde 19 pessoas morreram.

De acordo com o Líder da Minoria, é essencial trabalhar com a prevenção e a sociedade, bem como as autoridades, precisam estar cientes de quais edificações estão de acordo com a legislação vigente, conforme o Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI).

“Minha solicitação ao Corpo de Bombeiros e a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) é para sabermos quais hospitais públicos estão aptos a funcionar dentro do que preconiza a lei dos Bombeiros, pois não podemos ficar reféns de uma tragédia, arriscando a vida de crianças, idosos, jovens. A resposta chegará via Comissão de Saúde e aguardo o quanto antes, afinal, diariamente recebo denúncias sobre as condições precárias das unidades e a situação encontrada é sempre pior”, frisou o deputado.

Extintores vencidos

Além do episódio ocorrido no Rio de Janeiro, o parlamentar identificou no dia 23 de setembro que 48 extintores estavam vencidos há três meses no Instituto da Mulher Dona Lindu (IMDL), localizado na Av. Mário Ypiranga, em Adrianópolis. Além disso, no dia 5 de outubro, a Fundação de Medicina Tropical sofreu um princípio de incêndio. Na ocasião, com a chegada dos Bombeiros, as chamas foram contidas e nenhuma vítima foi registrada.

Sem normas

De acordo com o Sindicato dos Médicos do Amazonas (Simeam) o Corpo de Bombeiros Militar do Estado (CBMAM) não possui normas próprias, seguindo as normas da Corporação do Estado de São Paulo. Além disso, as licenças nos hospitais de Manaus estariam vencidas e não há laudos de segurança.

Em março deste ano, o aquecimento na correia da central de refrigeração do Pronto-Socorro 28 de Agosto, zona centro-sul, mobilizou uma viatura do Corpo de Bombeiros. O fato aconteceu por volta das 19h de domingo do dia 10/03. “Houve um aquecimento na correia da central de refrigeração, que fornece o ar-condicionado no setor de UTI. O cheiro de borracha queimada se tornou perceptível e os funcionários acionaram os bombeiros”, informou o órgão por meio de nota à imprensa.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •