Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O ex-médico Denis Cesar Barros Furtado, conhecido como Doutor Bumbum, réu por homicídio doloso qualificado no processo que apura a morte de uma de suas pacientes durante um procedimento estético, é pré-candidato a vereador nas eleições no Rio de Janeiro. Com planos de concorrer pelo Patriotas, ele passou a abordar a crise na saúde, casos de negligência médica e dicas de vida saudável nas redes sociais.

Doutor Bumbum foi indiciado pela morte de Lilian Calixto, de 46 anos, após a aplicação de 300 ml de PMMA nos glúteos, em 2018. O PMMA é usado em uma técnica da bioplastia, a injeção de substâncias para remodelar o corpo. O produto tem uso permitido pela Anvisa apenas em pequenas quantidades.

Na ocasião, o procedimento aconteceu na cobertura de Denis, na Barra da Tijuca, outra irregularidade, de acordo com o Conselho Federal de Medicina (CFM). Lilian passou mal no local e foi levada por ele a um hospital particular do bairro, onde morreu horas depois.

Doutor Bumbum chegou a passar um período foragido e foi preso preventivamente durante as investigações. Ele também teve o registro cassado pelo CFM, sem direito a recurso.

Ficha corrida

Segundo a 16ª Delegacia de Polícia do Rio, Denis tem uma ficha com sete anotações criminais, uma delas por homicídio, em 1997, quando ele tinha 24 anos. Entre os outros delitos mencionados na ficha estão porte ilegal de arma, crime contra a administração pública, resistência à prisão e violação de domicílio. O Conselho Regional de Medicina do Rio também informou, na época, que ele não tinha autorização para pratica medicina no estado.

Denis também foi indiciado quatro vezes pela Polícia Civil do Distrito Federal por exercício ilegal da medicina e por crime contra o consumidor, e teve seu registro médico cassado pelo Conselho Regional de Medicina do DF. Em uma de suas clínicas clandestinas na capital federal, a polícia apreendeu duas pistolas e uma espingarda sem registro. Ele chegou a ser preso em flagrante, mas foi solto após pagar fiança.

Doutor Bumbum fez fama pelas redes sociais com vídeos irreverentes e postando fotos de mulheres atendidas por ele para esculpir seus bumbuns à base do PMMA. A substância funciona como uma espécie de cimento, aderindo à pele, e não é absorvida pelo corpo. Por isso, se causar algum problema em um paciente, será muito difícil a sua retirada total, mesmo com lipoaspiração.

O PMMA foi a substância que causou a infecção que quase matou a modelo Andressa Urach em 2014. Em seu site, na época do caso, Denis se dizia médico “pós-graduado em dermatologia pelo Instituto Brasileiro de Ensino (Isbrae)” e “em modulação hormonal pela Brasil-American Academy for Integrative and Regenerative Medicine (Barm)”. Também alegava atuar nas áreas de estética, nutrologia e medicina ortomolecular.  (Revista Fórum)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •