Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Um médico de 41 anos foi agredido pelo vizinho ao tentar acabar com uma festa durante a madrugada no apartamento ao lado, no Rio de Janeiro. O profissional de saúde conta que levou um soco do empresário Fernando Trabach Gomes Filho, de 27 anos, locatário do imóvel. Com informações de Metrópoles.

O caso ocorreu no dia 20 de junho, mas só veio à tona nesta semana. Em entrevista ao jornal Extra, o médico disse que Fernando se mudou para o prédio em maio e, desde então, tem feito festas com frequência, apesar da pandemia do novo coronavírus. Segundo ele, os convidados costumam andar sem máscara pelo condomínio.

Com as denúncias dos moradores, o homem chegou a ser multado pelo condomínio.

“Pedi para um funcionário do prédio me acompanhar [ao apartamento]. Chegando lá, eu disse a ele [Fernando] que a música estava muito alta e que eu tinha plantão no dia seguinte, mas ele estava extremamente agressivo e falou obscenidades da minha mãe e minha esposa. Em seguida, me deu um soco, quebrou meus óculos e abriu meu supercílio”, relatou a vítima. Com a agressão, o síndico e a Polícia Militar foram acionadas.

O empresário teria se recusado a ir a delegacia e alegou não haver uma ordem judicial. Em nota, a assessoria de imprensa do advogado Carlos Felipe Guimarães, que defende Fernando, informou que não foi constatado qualquer crime pelos policiais militares. “Caso acontecesse, seria dada voz de prisão e todos os envolvidos seriam conduzidos a delegacia”, diz o comunicado. A defesa contestou a resistência do empresário ao ser levado a delegacia.

A polícia teve acesso a um vídeo do momento em que o médico é agredido. Em um dos diálogos, é possível escutar Fernando insultando o vizinho. “Deixa eu falar uma coisa ‘pro’ senhor? Eu não lhe perguntei porra nenhuma, então cale a sua boca, seu velho de merda”, diz o empresário. “Faz um favor pra mim, gagá? Mande a multa, mande a multa”, continuou.

Fernando também já agrediu a esposa do médico. O casal prefere não se identificar. “Fiquei oito dias internada. Tive uma síncope nervosa. O que dizem é que tive um curto neurológico e no coração”, contou.

Fernando já foi preso duas vezes em 2017. Ele é acusado por prática de crime de organização criminosa, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. O pai do empresário também estava preso sob a acusação de ter fraudado licitações.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •