Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O artista Romero Britto foi o convidado do programa Conversa com Bial, da TV Globo, da madrugada de quarta-feira (18/8). No entanto, diferente de outros assuntos, o artista pernambucano se recusou a falar da treta em Miami de três anos há atrás, que viralizou nas redes sociais nos últimos dias.

De acordo com o jornalista Pedro Bial, a entrevista foi gravada há cerca de três semanas, quando o vídeo polêmico ainda não tinha tomado conta das redes sociais. Porém, com a repercussão que o caso tomou, a equipe do programa entrou em contato com Britto.

O jornalista chegou a enviar três perguntas para o artista sobre o acontecimento com Madelyne Sanchez, mas não obteve respostas. O pernambucano enviou apenas um depoimento em que apenas repetia algumas coisas que já havia falado anteriormente.

“Infelizmente, Romero Britto não respondeu a nossas perguntas. Eu tinha perguntado se ele estava conseguindo dormir bem no meio dessa crise toda, também quis conhecer a versão dele sobre o que aconteceu no restaurante e perguntei por que só três anos depois esse vídeo veio a público”, lamentou Bial na abertura do programa.

“A gente espera sinceramente que essa crise se resolva logo, ele é um brasileiro muito importante para todos nós e para a imagem do Brasil no mundo. Se ele tivesse respondido teria sido legal, pra ele, pra marca dele que movimenta centenas de milhares de dólares por ano, teria sido legal para tantas pessoas cujos empregos dependem do trabalho dele, e também teria sido bom para todos nós, fãs do Romero, e entre esses fãs tantas crianças que o admiram demais”, continuou o apresentador.

No vídeo encaminhado, Romero voltou a afirmar que foi vítima de um ataque de ódio e repetiu que a mulher poderia ter machucado alguém ao quebrar a peça e que ela está a todo custo tentando ficar famosa as custas dele.

“A respeito do vídeo que anda circulando na internet, o incidente ocorreu em 2017. Todos podem ver que fui vítima de uma pessoa que foi a uma de minhas galerias e quebrou uma obra de arte que havia ganhado. Uma peça como aquela, de porcelana, ao quebrar, poderia ter causado danos a mim, a ela ou a qualquer outra pessoa no local. Nunca presenciei tamanho desrespeito em toda a minha carreira. Infelizmente há pessoas que querem ficar famosas às custas de outras”, começou.

Britto continuou afirmando que o ataque vai contra o que ele prega em seu trabalho: a alegria: “Através da minha arte, meu propósito sempre foi de levar alegria, amor e esperança a todos. Não admito desrespeito e jamais tive a intenção de desrespeitar alguém. O único fato é que os vídeos divulgados mostram uma pessoa agindo com violência contra o artista, e o tribunal da internet aplaude e faz apologia ao ódio. Não quero alimentar mais esse assunto ou a mídia. Eu prefiro que a consciência dela a julgue”.

Por fim, o artista completou o propósito de levar alegria com suas obras, independente de condição financeira. “Vou continuar minha missão de alegrar o mundo, que como nunca antes, precisa de mais amor, felicidade, esperança e otimismo”, encerrou o artista. (Metrópoles)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •