William Douglas Resinente dos Santos
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

“Terrivelmente evangélico.” A expressão ficou famosa após ser antecipada, em julho de 2019, como pré-requisito pelo presidente Jair Bolsonaro para a escolha a ser feita para a vaga que se abrirá em novembro no Supremo Tribunal Federal (STF), com a aposentadoria do ministro Celso de Mello. Com informações de Metrópoles.

A promessa foi dada pelo presidente em julho de 2019, ao participar de um culto da bancada evangélica na Câmara dos Deputados. Na semana passada, com a aproximação da saída do decano do Supremo, marcada para novembro, quando ele completa 75 anos, lideranças religiosas trataram de comunicar a Bolsonaro o nome preferido do grupo.

Trata-se do juiz federal William Douglas Resinente dos Santos, atual titular da 4ª Vara Federal em Niterói (RJ). Ele já foi delegado de polícia e defensor público no Rio de Janeiro. Hoje, além da atuação como juiz federal, William Douglas é pregador na Igreja Batista e em outras denominações evangélicas.

O pedido foi feito pelo pastor Silas Malafaia diretamente ao presidente, em reunião no Palácio da Alvorada, e recebeu endosso de líderes de Assembleia de Deus, Igreja Batista, Igreja Fonte da Vida, Igreja Quadrangular, M12 e Igreja da Graça.

O nome de William Douglas agora disputa a preferência de Bolsonaro com outro jurista visto com bons olhos pela bancada evangélica, o hoje ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça.

Coach

Fora do Judiciário, o nome do juiz federal também funciona como uma espécie de marca lucrativa, apresentada por meio do site williamdouglas.com.br. Lá estão seus sucessos de vendas como escritor, a exemplo da publicação “Como Passar em Provas e Concursos”, da Editora Impetus, da qual é sócio e membro do conselho editorial.

A mistura de crença e escrita faz parte da vida do juiz, que viaja o país em suas pregações. Outro livro de William Douglas é “As 25 Leis Bíblicas do Sucesso”. Com traduções para vários idiomas e cerca de 250 mil cópias vendidas, a publicação aponta a Bíblia como “o melhor manual sobre o sucesso já escrito até hoje”.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •