Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Gazeta Esportiva – O Santos conta com a participação de Paulo Autuori, novo diretor de futebol, para fechar a contratação de Pará, do Flamengo, nesta semana.

Autuori não define números nem participa da negociação de contratos, mas tenta usar seu poder de persuasão para facilitar a atuação do presidente José Carlos Peres no mercado.

Pará é a terceira opção na lateral direita, atrás de Rafinha e Rodinei, mas o Rubro-Negro quer uma compensação financeira para liberá-lo antes do término do contrato, em dezembro.

Mais do que negociar um “valor simbólico” dos cariocas, o Peixe não quer pagar luvas ou comissão a empresários e, se possível, reduzir um pouco o atual salário de Pará. Para isso, Autuori pode ser decisivo.

O diretor apresentará o projeto do Santos a Pará e os agentes – há a ideia de assinar um acordo até dezembro de 2020, fim da atual gestão de Peres.

Pará tem 33 anos e esteve no Santos entre 2008 e 2012. O salário é alto para um reserva, porém, não está muito acima da média do Alvinegro. Ele viria para ser uma “sombra” a Victor Ferraz.

Sampaoli indicou outros laterais, mais caros, mas vê o lado positivo de Pará chegar e já ficar à disposição, sem a necessidade de se adaptar depois de voltar do exterior ou precisar de tempo para recuperar a forma física. Ferraz está pendurado, por exemplo, e a única opção de origem seria Cadu, de 17 anos, revelado nas categorias de base.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •