Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Gazeta Esportiva – O São Paulo inicia nesta terça-feira sua última semana cheia para trabalhar antes da maratona de jogos que o aguarda. O time comandado pelo técnico Fernando Diniz encara a Ponte Preta neste domingo e, depois disso, só deixará de ter compromissos no meio de semana apenas entre o fim de março e começo de abril.

Dono da terceira melhor campanha geral do Paulistão, o São Paulo tem como objetivo se colocar em boa posição na tabela para voltar o foco completamente na Libertadores. Logo depois de encarar a Ponte Preta, no Morumbi, o Tricolor terá pela frente sua estreia no torneio sul-americano, quinta-feira, dia 5 de março, às 21h (de Brasília), contra o Binacional, do Peru, fora de casa.

Daí em diante, a rotina do São Paulo seguirá intensa. No domingo seguinte à estreia na Libertadores, o Tricolor terá de esquecer o desgaste do retorno do Peru e encarar o Botafogo-SP, em Ribeirão Preto. Logo na sequência, a LDU será o rival de Fernando Diniz e seus atletas, no Morumbi.

Como se não bastasse, no dia 14 de março o São Paulo encara o Santos, em casa, e na quarta-feira seguinte recebe o todo poderoso River Plate, seu principal adversário no Grupo D do torneio continental. Para fechar, Fernando Diniz e seus atletas terão o Red Bull Bragantino antes de, enfim, voltarem a ter uma semana cheia de trabalho.

Diante de tantos jogos em curto espaço de tempo, Fernando Diniz pode ter de recorrer a um time alternativo em alguns compromissos no Campeonato Paulista. Por enquanto, o comandante tricolor bate na tecla de que ainda não tem uma formação definida para a estreia na Libertadores, preferindo ressaltar o bom nível da maioria do elenco.

“Os principais jogadores são todos. Sou muito atento aos treinos e muitos vão ganhar espaço lá. Muitos estão treinando muito bem, os treinos estão muito competitivos e quem não inicia o jogo está em forma excelente. Esses onze jogadores foram para esse jogo, no jogo passado foram outros. O importante é que eles estão se colocando em uma condição em que todos podem ser titulares”, concluiu Fernando Diniz.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •