Delegado Guilherme Torres
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio do 19° Distrito Integrado de Polícia (DIP), cumpriu, na segunda-feira (18/05), mandado de prisão preventiva em nome do sargento do Exército Brasileiro, Janilson Cury Cuesta, 42, pela tentativa de homicídio de um sargento da Polícia Militar do Amazonas, de 44 anos. O crime ocorreu no dia 29 de março deste ano, no bairro Nova Esperança, zona oeste da cidade.

Segundo o titular da unidade policial, delegado Guilherme Torres, na ocasião do crime, vítima e infrator iniciaram uma discussão no trânsito, quando Janilson sacou uma arma de fogo e efetuou diversos disparos contra o policial militar. Ferida gravemente, a vítima passou por várias cirurgias e está em fase de recuperação atualmente.

De acordo com o delegado, na época do crime, o militar do Exército se apresentou à delegacia acompanhado de um advogado e se reservou o direito de se manifestar apenas em juízo. Um Inquérito Policial (IP) foi instaurado e, no decorrer das investigações, foram constatados indícios da autoria do crime.

“No dia dos fatos, o autor se apresentou na Delegacia com uma manobra jurídica para escapar da prisão em flagrante, haja vista que tanto a Polícia Civil quanto a Polícia Militar estavam no encalço dele. Por essa brecha, ele acabou não sendo flagranteado. Ele se apresentou e exerceu o direito de permanecer calado, o que demonstrou que, na verdade, ele se utilizou de se apresentar apenas para fugir da prisão em flagrante”.

Janilson foi preso neste início de semana, dentro do quartel onde trabalhava. Os policiais tiveram o apoio da Polícia do Exército para cumprir a prisão do militar.

“Após iniciarmos as diligências em torno do caso, por meio de depoimentos de testemunhas, exames periciais e captura de imagens de circuitos internos de monitoramentos, conseguimos comprovar indícios de autoria e prova da materialidade. Inclusive, outro inquérito foi instaurado contra o suspeito por crime anterior de suposto disparo de arma de fogo. Diante dos fatos, decretamos a prisão preventiva como garantia da ordem pública”, declarou o delegado.

Procedimentos – Janilson Cury foi conduzindo ao 19° DIP, onde foi indiciado pelo crime de homicídio tentado. Ao término dos trâmites cabíveis, ele permanecerá preso e ficará à disposição da Justiça.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •