Foto: Robervaldo Rocha – Dircom/CMM
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O vereador Sassá da Construção Civil (PT), discursou na tribuna da Câmara Municipal de Manaus (CMM), e repudiou a atitude do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), ao atender o pedido do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro, que determinou a suspensão das investigações sobre o parlamentar no Rio de Janeiro.

“É um tema que revolta que o povo brasileiro. A suspensão das investigações do processo não comprova a inocência do Flávio Bolsonaro. Quem não deve, não teme. Se tem coisa errada eles tem que pegar. Afinal, o combate à corrupção foi uma das promessas do presidente. Ele tem que provar perante a justiça que o filho dele não é bandido”, disse.

O ministro determinou a suspensão das investigações pelo Ministério Público do Rio e da tramitação no Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) de recursos relacionados ao caso, até o julgamento do tema pelo Supremo, marcado para o dia 21 de novembro.

Flávio Bolsonaro e seu ex-motorista Fabrício Queiroz, são investigados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro a partir de relatórios do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). O conselho identificou uma movimentação suspeita de R$ 1,2 milhão na conta de Fabrício Queiroz e também na conta de Flávio. Segundo o relatório da Coaf, em um mês, foram 48 depósitos em dinheiro, no total de R$ 96 mil.

O MP do Rio de Janeiro alega indícios de organização criminosa, lavagem de dinheiro e peculato no gabinete do filho de Bolsonaro, na época em que ele era deputado estadual. O senador foi deputado estadual no Rio por quatro mandatos consecutivos.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •