Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O dia parece seguir sem nenhuma intercorrência nas atividades cotidianas, e do nada, eis a surpresa. Os sintomas são clássicos: tonteira, dor de cabeça, desmaio, sensação de pressão ou aperto no peito/cabeça e sangramento nasal. Por ser tão popular entre os brasileiros muitos não hesitam em concluir que se trata dela, a pressão arterial. Desde 2005, 17 de maio foi instituído o Dia Mundial da Hipertensão, e é nessa data que os profissionais de saúde aproveitam para reforçar os protocolos de prevenção e controle dessa doença silenciosa e que não tem cura.

De acordo com Luiz Saraiva, médico cirurgião cardiovascular do Hapvida, a quantidade de pessoas que sofrem de Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) é enorme e vem se duplicando ao longo dos anos. “Estima-se que existem mais de 1 bilhão de pessoas acometidas pela doença. Isso é alarmante. A HAS é o principal fator de risco para os acidentes cerebrovasculares e infartos, e essas duas doenças matam em média 7,5 milhões de pessoas por ano”, alerta.

A HAS é uma é uma doença crônica degenerativa multifatorial caracterizada pelo aumento dos níveis pressóricos acima de 135/85 mmhg e de caráter sustentado, segundo o médico. E uma das maiores preocupações dos profissionais de saúde é que a maioria dos casos de HAS são assintomáticos na fase inicial. “As complicações da doença dependem dos órgãos atingidos; a princípio a HAS pode acometer quase todos os órgãos do corpo, sendo assim pode levar a insuficiência renal, cegueira total ou parcial, infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral, entre outros”, complementa Luiz.

Efeitos neurológicos

Segundo Saraiva, diversos estudos provaram uma relação positiva entre demência e HAS. “Várias teorias tentam explicar essa relação. Em teoria, a HAS levaria a microinfartos cerebrais ao longo de anos, e estes podem levar à demência”, pondera o médico. O tratamento da hipertensão arterial tem o objetivo de normalizar os valores pressóricos. “Isso deve ser obtido através de um tripé: terapia medicamentosa, alimentação e melhora dos hábitos diários como início de atividade física, abandono do cigarro, etc”, complementa.

A faixa etária com a maior incidência de pressão arterial é a dos idosos, porque neles ocorre a diminuição da capacidade de elasticidade das artérias (endurecimento arterial) devido ao processo de aterosclerose. “Porém vale ressaltar que atualmente a HAS tem acometido pacientes cada vez mais jovens”, assegura Saraiva. A prevenção, de acordo com o médico, se resume a melhoria dos hábitos de vida. “Vale adotar uma alimentação saudável, controle do peso, moderação do consumo de álcool, interrupção do fumo, evitar momento de estresse e curtir momentos de prazer”, finaliza o especialista.

Os 10 mandamentos para prevenção e controle da Hipertensão Arterial

1 – Meça a pressão pelo menos uma vez ao ano;

2 – Pratique atividades físicas todos os dias;

3 – Mantenha o peso ideal: evite a obesidade;

4 – Adote uma alimentação saudável: pouco sal, menos frituras e mais frutas, verduras e legumes;

5 – Reduza o consumo de álcool, se possível, não beba;

6 – Abandone o cigarro;

7 – Nunca pare o tratamento: é para a vida toda;

8 – Siga as orientações do seu médico ou profissional da saúde;

9 – Evite o estresse. Tenha tempo para a família, os amigos e o lazer;

10 – Ame e seja amado.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •