Foto: Jander Souza
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

As atividades esportivas e de lazer, atividades socioculturais, educação, assistência social e fisioterapêuticas oferecidas nos seis Centros Estaduais de Convivência da Família (CECFs) e no Centro Estadual de Convivência do Idoso (Ceci), administrados pela Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), têm sido um diferencial na vida de milhares de amazonenses. De janeiro a dezembro de 2019, foram realizados nestas unidades 1,534 milhão de atendimentos que estimulam o fortalecimento de vínculos sociais e familiares em várias zonas da cidade de Manaus.

São ações e serviços de promoção e proteção social que têm o objetivo de prevenir situações de vulnerabilidade e riscos, por meio de atividades de convivência em grupo que contribuem para a melhoria da qualidade de vida das famílias, idosos, pessoas com deficiência e demais segmentos.

Todo esse trabalho a Seas realiza por meio de uma gestão compartilhada e intersetorial com outros órgãos do governo estadual, entre os quais, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa; Secretaria de Saúde (Susam); Secretaria de Educação e Desporto; Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam); e Fundação Universidade Aberta da Terceira Idade (FUnATI).

Juntos nos CECFs, esses órgãos atendem à demanda da população em situação de vulnerabilidade e risco social, por meio da prestação de serviços que promovem bem-estar social. São realizadas diariamente várias atividades, que vão da prática desportiva e de lazer, passando por atividades socioculturais, educação, assistência social, fisioterapêuticas, além de outras com vistas a estimular a geração de renda. As ações mantêm a família na centralidade das ações preventivas, visando melhoria na qualidade de vida da comunidade, considerando os direitos à proteção social pública de seguridade social e a defesa da cidadania dos usuários.

Número de atendimentos – Com um total de 407,16 mil atendimentos nos dez meses de 2019, o Centro Estadual de Convivência do Idoso (Ceci), situado no bairro de Aparecida, zona sul, presta serviços destinados ao segmento da terceira idade com palestras motivacionais, atendimento psicossociais, exames antropométricos e fisioterápicos, e demais atividades, que são estendidos também aos familiares.

No Ceci o destaque são as atividades de reabilitação fisioterápica, bem como aulas de capoeira, funcional, hidroginástica, pilates, caminhada orientada, ginástica, alongamento, dança e fisioterapia. Além disso, são disponibilizados ainda teatro, dominó e sinuca.

São em torno de 2 mil atendimentos por dia, nos três horários, sendo que à noite o centro tem atividades voltadas às pessoas na faixa dos 50. De acordo com a diretora do Ceci, a psicóloga Ítala Rodrigues, tem idosos que fazem seis atividades por dia, tendo o local se tornado a extensão de suas casas.

“A qualidade de vida desses idosos é notória, por conta da jovialidade que possuem; a gente percebe o quanto têm energia, vontade de viver”, disse a psicóloga, destacando que os idosos são independentes e conhecedores de seus direitos, e defendem que sejam respeitados. “Eles não querem mais ficar em casa numa cadeira de balanço assistindo à televisão, fazendo crochê, e isso propicia um envelhecimento saudável”, frisou.

O CECF Padre Pedro Vignola, localizado na Cidade Nova, zona norte, realizou no decorrer deste ano 436,48 mil atendimentos. Diariamente o centro propicia à sua clientela uma gama de atividades visando fortalecer os vínculos social e comunitário da população com esporte, lazer, teatro e diversão.

No CECF Magdalena Arce Daou, localizado na avenida Brasil, Santo Antônio, zona oeste de Manaus, o número de atendidos somou 335,64 mil no decorrer do ano. São atividades sociais, esportivas e culturais oferecidas na unidade de segunda a sexta-feira. Além disso, no local os frequentadores participam de palestras, oficinas de artesanato, aula de ginástica, bolerão da terceira idade, torneio de futsal feminino, mutirão de beleza e uma gama de atividades.

No CECF Professora Teonízia Lobo de Carvalho, bairro Amazonino Mendes, zona norte, o número de atendimentos no período somou 129,98 mil. O local também é voltado a atividades sociais, esportivas e culturais. O mesmo acontece no CECF Maria de Miranda Leão, situado na zona centro-oeste, cujo número de atendimentos somou 56,62 mil; no CECF 31 de Março, zona sul, o somatório de atendimentos atingiu no ano 88,82 mil; enquanto no CECF André Araújo, Zona Sul, o número de atendimentos atingiu 79,82 mil.

Vale destacar que a prática de atividades esportivas nos Centros de Convivência faz parte da política pública de atendimento à Política Nacional do Esporte, cujas atividades estão em consonância com os direitos fundamentais de todo cidadão. A execução das demais atividades nos Centros visa favorecer os direitos de cidadania e melhoria na qualidade de vida, ampliando a rede de ações de políticas públicas voltadas à população, principalmente em situação de vulnerabilidade e risco social.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •