Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Experimentos científicos desenvolvidos por alunos da rede estadual decoraram o auditório do Centro Educacional de Tempo Integral (Ceti) Gilberto Mestrinho, localizado na zona sul de Manaus, na tarde de quarta-feira (31/07), para o lançamento do 4º “Circuito de Experimentos de Baixo Custo (Cebac)”. Promovido pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc-AM) desde 2016, o programa tem como objetivo incentivar o desenvolvimento de experimentos de baixo custo de Ciências da Natureza utilizando materiais alternativos – despertando, assim, o interesse científico e a criatividade dos estudantes da rede pública do Amazonas.

O lançamento aconteceu pela parte da tarde, a partir das 13h30, e contou com a presença do secretário executivo adjunto da Capital, professor Bibiano Filho; do secretário executivo adjunto Pedagógico, Raimundo Barradas; e do diretor de Políticas Públicas e Programas Educacionais da Seduc-AM (Deppe), Nilton Carlos, além de professores, pedagogos, diretores e coordenadores distritais da rede estadual de ensino.

De acordo com Raimundo Barradas, o Cebac chega para desmistificar a ciência. “Nós acabamos vendo a ciência como algo bastante distante da nossa realidade e esse pensamento começa na educação básica. Com o Circuito, então, esperamos aproximar os jovens dessa prática [da ciência], consolidando-a cada vez mais em ações educativas e pedagógicas nas escolas do Amazonas”, afirmou o secretário executivo adjunto Pedagógico da Seduc-AM.

Para Bibiano, a iniciativa serve, também, como uma forma de valorização ao trabalho desempenhado pelos alunos e professores. “Estamos avançando para que a educação no Estado deixe de ser aquela ‘educação de banco’ e comece a promover a interação entre a teoria e a prática. Nós, que vivemos no Amazonas, precisamos muito de alternativas sustentáveis de economia, logo, torcemos que o Circuito nos ajude a formar futuros profissionais que olhem pela nossa Amazônia de maneira especial”, concluiu o secretário executivo adjunto da Capital.

O Cebac é voltado a estudantes do 4º ao 9º ano (Ensino Fundamental) e Ensino Médio de todo o Estado – abrangendo, também, as modalidades Eja e Avançar. Para participarem, eles precisam somente de um professor orientador, que deverá orientar e acompanhar a realização de experimentos por parte dos discentes, tornando, inclusive, as aulas mais atraentes.

Etapas – O Circuito será dividido em três etapas. A primeira delas, que começa nesta quinta-feira (1º) e vai até o dia 30 agosto, consiste na realização dos experimentos nas próprias escolas. A segunda fase, que acontece do dia 1º a 31 de outubro, selecionará as melhores invenções no nível distrital/regional. Por fim, de 22 a 29 de novembro, serão escolhidos os grandes campeões da 4ª edição do Cebac. Os vencedores serão agraciados com troféus, medalhas e certificados de participação.

Expositores – Durante o lançamento do 4º Cebac, diversos alunos da rede estadual expuseram experimentos encabeçaram a lista de destaques da 3ª edição do Circuito, realizada em 2018. Os estudantes Edson Vincente e Paulo Henrique, do Instituto de Educação do Amazonas (Iea), por exemplo, exibiram um abajur de lava alternativo. Para criá-lo, a dupla precisou apenas de óleo, água, corante, lanterna, comprimido efervescente e recipiente transparente. “Nós fizemos uma pesquisa em casa e discutimos sobre essa ideia durante um dia, até decidir seguir em frente com ela. Depois, a gente só precisou ir atrás dos materiais”, contou Paulo.

Ao lado do colega, o estudante conquistou o 3º lugar com a criação, no último Cebac. “Foi uma experiência muito gratificante e que acrescentou bastante para a gente, sem dúvidas. Estamos ansiosos para a ver os experimentos deste ano”, acrescentou Edson.

Outra invenção que fez sucesso no Ceti Gilberto Mestrinho foi o irrigador solar automático, apresentado por Mirele Vasconcelos e Laudiany Viana, ambas do Ceti Sérgio Pessoa. O item foi confeccionado com garrafas pets, canos, luvas de PVC e cola quente. “Iniciativas como o Cebac são de extrema importância para a gente, olha quanta coisa legal está sendo exposta, aqui, hoje”, elogiou Mirele.

Para a estudante, o Circuito é responsável por criar vários itens que podem ser, facilmente, enquadrados no dia a dia das pessoas. “O irrigador, por exemplo, é uma ótima ideia para aquele indivíduo que tem vontade de ter plantas em casa mas que passa o dia todo trabalhando. São ideias simples, mas que muitas pessoas nunca tiveram a oportunidade de conhecer”.

Segundo Nilton Carlos, o programa vai de encontro a um dos principais ideais da Seduc-AM: que os alunos da rede estadual são, sim, pesquisadores. “Com o Cebac, nós percebemos que é possível fazer ciência com muito pouco, garantindo a sustentabilidade e incentivando o envolvimento dos estudantes. Isso tem uma importância muito grande para nós”. 


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •