Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Intensificar as atividades de prevenção e intervenção no combate à infrequência e ao abandono escolar, envolvendo toda comunidade no processo educativo. Este é o principal objetivo da Semana de Mobilização da Comunidade para a Prevenção do Abandono Escolar, realizado pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc-AM), até esta sexta-feira (16), em todas as escolas da rede pública do Amazonas. 

O ponto alto da semana acontecerá no Ceti Áurea Pinheiro Braga, com a apresentação de algumas ações pedagógicas realizadas no combate ao abandono escolar. As atividades são desenvolvidas na Escola Estadual Waldemiro Peres Lustoza nos últimos anos com os alunos do Ensino Fundamental, Ensino Médio e Projeto Avançar.

Na programação, que tem início às 9h30, haverá apresentação do vídeo sobre a prevenção da infrequência escolar, com relatos de David Guedes de Souza, aluno do Projeto Avançar, Fase 3 no Turno Noturno; e Cláudia Alves Lopes, responsável da aluna Valeska Lopes Nascimento do 1º ano no Turno Noturno.

Em seguida, estudantes do 9º Ano do Ensino Fundamental apresentarão a “Permanecer #vencer”, com a música “É preciso saber viver”. A dramatização tem a finalidade de motivar os alunos a vencer os obstáculos na vida escolar. Outra atração é a paródia “Não abandone”, tendo como melodia a música “Beijinho no ombro”.

Projeto Permanecer – Mais de 34 mil alunos deixaram os estudos na rede pública de ensino no Amazonas, em 2018. Com o objetivo de mitigar estes números, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc-AM) tem dado continuidade ao “Projeto Permanecer: prevenção e redução do abandono escolar”, que trabalha em conjunto com as instituições de ensino e outros órgãos públicos.

Os índices têm aumentado a cada ano e os motivos variam desde o ingresso no mercado de trabalho aos diversos tipos de violência, de acordo com o secretário executivo adjunto Pedagógico da Seduc-AM, professor Raimundo Barradas, que tem coordenado a continuidade do projeto. 

“Realizamos levantamentos das principais questões enfrentadas e temos um plano de ação para cada problema, que sempre é trabalhado em conjunto com o Conselho Tutelar e outros órgãos, especialmente nos casos de violência – doméstica, dentro ou fora da escola – até a casos como abuso sexual”, salientou o professor.

Trabalho em conjunto – A realização do Projeto acontece de forma interdisciplinar, em parceria com outras instituições – governamentais ou não. Um exemplo aconteceu ontem, em Parintins. A importância da frequência foi salientada em conjunto com o Conselho Tutelar do município, após uma apresentação teatral realizada pelos próprios alunos.

Outro parceiro é o Conselho Escolar e/ou a Associação de Pais, Mestres e Comunitários (APMC). De forma voluntária, as entidades são representativas dentro do ambiente escolar e auxiliam o corpo discente na implementação e continuidade dos projetos.

Na área da Saúde, o Permanecer trabalha em conjunto com o Centro de Referência de Assistência Social (Cras), que busca prevenir a ocorrência de situações de vulnerabilidade e riscos sociais. O principal serviço é o Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (Paif). 

O projeto da Seduc-AM também trabalha com os Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), que têm como papel a oferta de trabalho social especializado no Sistema Único de Assistência Social (Suas), com famílias e indivíduos em situação de risco pessoal ou social, por violação de direitos. 

O trabalho nas escolas da rede pública também é realizado com o Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca), que tem como objetivo de zelar pela garantia dos direitos da criança e do adolescente referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade; ao respeito, à liberdade e a convivência familiar e comunitária, bem como mantê-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •