© Mark Thompson/Getty Images/VEJA
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Sem representantes no grid há dois anos, o Brasil deve deixar de ser um dos poucos países do mundo a transmitir a temporada de Fórmula 1 em TV aberta. A Rede Globo não renovou o contrato de direitos de transmissão da principal categoria do automobilismo e deixará de exibi-la a partir de 2021. As informações são do site Meio & Mensagem.

Com o contrato se encerrando ao final desta temporada e com audiências em queda ano após ano, a Globo tentou renegociar os valores junto à Liberty Media, proprietária dos direitos, mas não chegou a um acordo com o grupo americano. Com isso, caso não haja uma reviravolta, deve chegar ao fim uma parceria de quase cinco décadas.

A Globo exibiu a competição pela primeira vez em 1972, e revezou-se com a Band até retomar os direitos de transmissão na década de 80. As corridas, então, se tornaram um enorme sucesso de audiência (e de cotas publicitárias), sobretudo nos períodos de glória de Emerson Fittipaldi, Nelson Piquet e Ayrton Senna, sempre na voz de Galvão Bueno. Em 2020, o principal narrador do país já havia perdido seu habitual parceiro, o comentarista Reginaldo Leme, dispensado pela Globo.

A notícia representa mais uma decepção para os fãs da Fórmula 1 no país. Em 2020, o calendário da categoria teve de ser refeito devido à pandemia de coronavírus e o GP do Brasil, previsto para novembro, em Interlagos, foi um dos cortados. Será a primeira vez desde 1972 que a prova brasileira fica de fora.

Para piorar, o futuro da etapa nacional está indefinido, pois o contrato com São Paulo termina em 2020, e as negociações por sua renovação estão travadas. Com apoio do presidente Jair Bolsonaro, o Rio de Janeiro se apresentou como concorrente de Interlagos e interessado a receber o evento, em um novo autódromo cujas obras nem sequer começaram e enfrentam problemas na Justiça. Com informações de Veja.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •