Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Cerca de 500 moradores, do Distrito de Terra Preta do limão, a 20 quilômetros de Barreirinha ( distante a 328 quilômetros de Manaus), foram para frente da comunidade e impediram que a empresa Embrac Construções Ltda, que realiza o serviço de asfaltamento das ruas, retirasse as máquinas da localidade. O protesto aconteceu na noite deste domingo. É que após três meses de trabalho a construtora asfaltou apenas parte de uma rua. O convênio conseguido pela Prefeitura com o governo do Amazonas foi de R$ 7 milhões para a execução da obra.

O prazo de conclusão de asfaltamento era para abril, mas somente 100 metros de asfalto da avenida Manoel Butel, a principal rua do distrito, ganhou a emulsão e de péssima qualidade. Na primeira chuva o asfalto foi embora. O morador da localidade, Marcos Butel, informou que novos protestos poderão ocorrer, porque o distrito está unido para impedir a saída das maquinas, até que o asfaltamento das ruas seja concluído.“ Não vamos deixar as maquinas saírem do Distrito. As ruas estão sem condições de tráfego e o asfalto é de péssima qualidade”, disse.

Os moradores, segundo ele, aguardavam um posicionamento do prefeito de Barreirinha, Mecias Sateré (PSD) e da secretária de Infraestrutura do Estado, Waldívia Alencar. A Prefeitura, de acordo com as famílias, não fiscaliza a obra e não dá explicações aos moradores.

Ao blog deAmazônia o vereador Glênio Seixas(PMDB), que esteve no distrito e conversou com as familias, informou que estará denunciando a Construtora e a Prefeitura ao Ministério Público do Estado. Ele também cobrará explicações da Seinfra e comunicará o fato ao Tribunal de Contas do Estado. “Queremos uma resposta para esse descaso. Já estamos acionando o Ministério Público, em Barreirinha” comentou o vereador.

O prefeito Mecias Sateré, informou ao blog deAmazônia, por meio de sua assessoria de imprensa, que reunirá hoje a noite com os representantes da empresa e com lideranças do Distrito, na sede de Barreirinha, para encontrar uma solução conjunta para o problema. " A empresa retiraria as maquinas para desenvolver trabalhos em outra cidade e retornaria depois de cessar as chuvas, porque agora não tem como prosseguir a obra. Mas os moradores não aceitarem a retirada das máquinas e agora o prefeito realizará a reunião hoje a noite ", informou e assessoria.

O distrito de Terra Preta do Limão é a principal área de terra firme de Barreirinha. Por causa da enchente do rio as autoridades do Amazonas decretaram Estado de Calamidade Pública, no ano de 2013, em Barreirinha, que ficou completamente alagada. Milhares de moradores foram removidos de suas casas. O distrito de Terra Preta é um desses locais que serve de ponto de emergência, para abrigar as famílias que padecem com a cheia dos Rios Paraná do Ramos e Andirá e são transportadas para outras área até as águas baixarem.

Fonte De Amazônia


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •