Mário Vianna, presidente Licenciado do Simeam, orientou os médicos cirurgiões a registrarem um B.O contra o Estado, relatando as dificuldades em atender pacientes
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Ao menos cinco pessoas foram atingidas à bala na noite de terça-feira, 06, no bairro Colônia Oliveira Machado, por um a atirador até o momento não identificado pela polícia. As vítimas, entre elas, uma criança, estavam em uma praça no momento em que, de um carro em  movimento, o atirador começou a disparar.

Antes do tiroteio, uma outra fatalidade.  Um passageiro do transporte coletivo teve um dos braços dilacerado. Ele estava com o braço na janela do transporte quando foi gravemente ferido por um outro ônibus.

Tanta as vítimas do tiroteio quanto do passageiro, que corria risco de amputação do braço, foram parar no HPS 28 de Agosto. 

Detalhe: a mais de cinco meses sem pagamento, o Instituto de Cirurgiões do Amazonas (Icea) tiraram os seus associados do pronto-socorro.

Antes, porém, o governador Wilson Lima foi avisado sem se importar com as consequências advindas de sua indiferença à questão.

Devido a demora na atenção aos pacientes, a grita foi imediata.

Mesmo licenciado de suas funções, o presidente do Sindicato dos Médicos do Estado do Amazonas (SIMEAM) Mário Viana esteve no 28 de Agosto na noite de  terça-feira e comprovou o caos no atendimento.

Preocupado com quadro que poderia resultar em prejuízo à saúde das vítimas, Mário Viana  pediu em caráter humanitário aos médicos cirurgiões vasculares apoio aos colegas no 28 de Agosto.

Os cirurgiões Vasculares, mesmo sem receber há cinco meses, atenderam ao pedido e se deslocaram ao Pronto-Socorro para o atendimento às vítimas

A SUSAM foi questionado por jornalistas sobre essa situação, mas até agora a Secretaria de Saúde do Estado não deu nenhuma declaração, apesar de recentemente ter afirmado em Nota Oficial que havia “tomado todas as providências para a garantia do bom atendimento à população nos hospitais”.

Os médicos cirurgiões decidiram fazer um B.O-Boletim de Ocorrência contra o Estado, relatando as dificuldades em atender pacientes sem a presença de profissionais necessários na rede de urgência e emergência de Manaus, como relata o Presidente Licenciado do Simeam Dr Mário Vianna.

Esta semana a justiça determinou ao Governo que pague os médicos cirurgiões do ICEA em 10 dias sob pena de ter os valores bloqueados. O governo pretende recorrer da ordem judicial. Enquanto isso, os atendimentos continuam suspensos parcialmente.

SPAs estão sem médicos cirurgiões e cirurgias eletivas continuam sendo canceladas, além da falta de atendimentos ambulatoriais. O presidente do sindicato dos médicos prevê que a situação  tende a piorar prejudicando ainda mais a população.

Vídeo Mário Viana


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •