Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Consultas de enfermagem para orientação às crianças matriculadas em creches municipais são realizadas mensalmente por uma equipe multiprofissional da Secretaria Municipal de Educação (Semed). Na manhã desta terça-feira, 3, foi a vez dos alunos da Creche Municipal Professora Virginia Marília Mello de Araújo, da Cidade do Leste, na zona Leste da cidade, receberem atendimento.

A enfermeira Débora Napoleão explicou como o trabalho de orientação, supervisão e consulta de enfermagem é realizado nas unidades. “Essas visitas mensais servem para fazer o acompanhamento do crescimento e desenvolvimento das crianças. O preenchimento de um formulário de entrevista com informações sobre o nascimento da criança, a parte biopsicossocial e a avaliação física também são feitas com o acompanhamento dos pais”.

Cabe aos professores a ajuda na identificação das crianças que apresentam alteração no quadro de saúde e a convocação dos pais para que a enfermeira passe as orientações. Medição e pesagem também estão entre os serviços realizados.

“Temos um modelo e instrumentos pra fazer o acompanhamento. O trabalho também é composto pela parte de comunicação e conhecimento a respeito da criança, bem como dados referentes ao nascimento, as intercorrências que a criança teve durante o período neonatal, padrão de nutrição, se faz uso de medicação, que medicamento usa atualmente em casa, entre outras coisas”, complementou.

Em todos os casos, os profissionais da creche encaminham as crianças para a Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) ou ao Centro de Atenção Integral à Criança (Caic) mais próximo da creche. “Não medicamos e nem diagnosticamos. Mas temos parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e eles disponibilizam vagas para o atendimento das crianças”.

A industriaria Aline Pereira da Silva, 29, tem duas filhas, de 2 e 3 anos, matriculadas na creche. Ela contou que foi chamada pela gestora da unidade para participar da consulta da filha mais nova pela primeira vez. “Achei bastante importante. Até porque algumas mães que trabalham durante o dia, como eu, têm dificuldades de sair do trabalho e levar a criança para o pediatra”.

Ela comentou, ainda, que se sente segura em sair para trabalhar e deixar as filhas na creche. “Eu estava atrás de uma oportunidade de emprego e quando descobri que ia ter matriculas para a creche, fui atrás e acabei sendo contemplada com duas vagas. Comecei a trabalhar, deixando minhas filhas tranquilamente na creche. Sinto-me bastante segura e, apesar de todas as dificuldades, confiei nos profissionais da unidade e, até então, não tive nenhum tipo de problema”, finalizou.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •