Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O senador Eduardo Braga (MDB/AM) usou as redes sociais, nesta segunda-feira (06/04), para mandar dois recados incisivos sobre os conflitos políticos que vêm sendo gerados durante a pandemia do novo coronavírus. No primeiro, o líder do MDB critica as manifestações preconceituosas e descabidas contra os chineses e diz que “o momento exige seriedade e responsabilidade não apenas na área de saúde e nas decisões econômicas e de caráter social, mas também na área diplomática”. No segundo, reforça o apoio ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, destacando que o ministro tem trabalhado pela saúde e pela vida dos brasileiros.

“Entre medo e coragem, canetas ávidas por uma demissão ou uma nomeação, estrelas em queda ou em ascensão, ficamos com os brasileiros ─ a razão de ser deste país e de cada um dos mandatos exercidos nas três esferas da Federação”, alfineta o senador nas redes sociais. Em seguida, ele complementa: “Quem trabalha pela saúde e pela vida dos nossos cidadãos, especialmente neste momento de pandemia do novo coronavírus, como o ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde), tem todo o nosso apoio e solidariedade”.

Condução firme ─ Desde o início da pandemia, Eduardo Braga vem frisando a condução firme e equilibrada de Mandetta no Ministério da Saúde. As orientações do ministro, a seu ver, têm seguido o rigor técnico necessário para que o país enfrente da melhor forma possível essa crise, freando ao máximo o contágio, com o isolamento social, e garantindo melhores condições de tratamento dos infectados.

Sem citar explicitamente as ameaças camufladas de demissão do ministro da Saúde por parte do presidente Bolsonaro ─ que chegou a dizer que integrantes do seu governo viraram “estrelas” e que não hesitaria em usar a caneta contra essas pessoas ─ nem a troca de farpas entre o presidente e alguns governadores, o líder do MDB alerta, em vídeo também postado nas redes sociais, que “não é hora de estarmos fazendo disputas internas”. “Estamos em plena guerra contra o coronavírus”, destaca o parlamentar, ao defender que “o Brasil precisa de união para enfrentar a pandemia”.

China ─ Foi no mesmo tom incisivo que o líder publicou a reprimenda às manifestações contra a China, que subiram de tom com a postagem do ministro da Educação, Abraham Weintrub, que usou o personagem Cebolinha para insistir na teses de que a propagação do coronavírus atende a interesses comerciais chineses. “É hora de deixar radicalismo e paixões ideológicas de lado”, diz o senador Eduardo, lembrando que o mundo precisa agora unir esforços e exercitar o respeito e a solidariedade.

“Não podemos dar espaço para a xenofobia e o racismo. Manifestações preconceituosas contra nossos irmãos chineses, além de completamente impróprias, são particularmente perigosas, uma vez que a China é nosso principal parceiro comercial”, continuou Braga. “É absurdo”, segundo ele, “que, em plena tragédia sanitária, o Brasil ainda tenha que centrar esforços para contornar crises artificialmente criadas por manifestações descabidas e intempestivas”.

Em outro vídeo, também postado nas redes sociais, o senador do Amazonas lembra que a China é hoje a principal produtora de respiradores pulmonares e de EPIs – Equipamentos de Proteção Individual -, como máscaras e luvas, usados pelas equipes de saúde para se proteger do contágio pelo novo coronavírus. “É hora de consolidarmos nossa parceria com a China”, conclui o senador.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •