Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O deputado federal Silas Câmara (PRB/AM), presidente da Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados cobrou, sábado (20), da concessionária de energia providências sobre o apagão que atingiu os municípios de Manacapuru, Iranduba e região. O problema se deu por conta do rompimento dos cabos subaquáticos que ligam as redes de Manaus aos municípios. A causa da interrupção foi identificada no sábado (20), em um cabo subaquático submerso à 50 metros no Rio Negro, próximo a ponte Jornalista Phelippe Daou.

O parlamentar ao tomar conhecimento do problema acionou o diretor da Agencia Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), André Pepitone que garantiu a efetividade dos reparos até terça-feira por parte da Eletrobrás. Em nota a empresa informou que às 5h desta segunda-feira (22), 8 mergulhadores irão verificar o dano no cabo subaquático, para que a Distribuidora possa definir as estratégias junto à empresa contratada Elektra, para recuperação do cabo. O material referente ao cabo, é adquirido fora do país, e a Distribuidora adotará todas as medidas cabíveis.

Silas destacou que a  falta de energia elétrica na cidade de Manacapuru, Iranduba e região causou vários transtornos à população desses municípios,  e disse que o ocorrido foi comunicado a ANEEL através de seu  diretor que se comprometeu em cobrar providências por parte da Eletrobrás para que o problema seja solucionado o mais breve possível.

A empresa também informou que 12 grupos geradores estão operando, em reativação de usina termelétrica (UTE) localizada na Rodovia Manoel Urbano (AM-070), como medida emergencial enquanto a logística e os reparos no cabo subaquático serão realizados. A Empresa transferiu 15 grupos geradores da UTE de Flores, totalizando 27 grupos geradores em operação até o final do dia de hoje (21/07/2019).

Adicionalmente estamos contratando mais 15MW também para a UTE Iranduba o que totalizará na terça (23/07/2019) um total de 40MW. Até a próxima quinta-feira (25), disponibilizaremos 60MW aos dois municípios afetados para diminuir os impactos aos moradores das duas localidades. A previsão é que até o final desta semana o fornecimento de energia seja normalizado 100%.

Silas também disse que o problema poderia ser solucionado com maior rapidez se o cabeamento existente hoje fosse aéreo,  usando a estrutura da ponte Rio Negro. O congressista disse que vai propor que a empresa retire gradativamente o cabeamento subaquático faça a substituição pelo cabeamento nos postes existentes da ponte, com isso o problema poderia ser solucionado em algumas horas, além de baratear a manutenção.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •