Ana Cristina Almeida levará as denúncias ao conhecimento do Ministério Público (Foto Radar Amazônico)
Compartilhe
  • 236
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    236
    Shares

À julgar como verdadeiras as recentes declarações de Ana Regina Almeida, o ex-secretário de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania, (Sejusc), Clizares Doalcei Silva de Santana – aquele que contratou por R$ 700 mil, sabe-se lá pra que, serviços de som e montagem de palco – transformou o órgão a que servia em comitê político do deputado federal Silas Câmara.

Ana Regina Almeida, ex-secretária Adjunta da Sejusc, citou em entrevista ontem (11) a jornalista Any Margareth, do Radar Amazônico, como exemplo, não só as contratações autorizadas por Clizares para dar suporte ao projeto político de reeleição do deputado evangélico, mas também a utilização de toda a estrutura da entidade para captação de votos.

Ela destacou, entre tantos, os barcos do Programa de Atendimento Itinerante (PAI) que oferece mais de 30 serviços nas áreas de saúde, cidadania, assistência social e educação, além das Carretas da Mulher e os PACs, por exemplo.

Ana Regina Almeida não falou em cobrança de dízimo no âmbito da Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania na gestão Clizares Doalcei Silva de Santana, mas disse que  os tentáculos de Silas Câmara estão fortemente enraizados, inclusive, na Diretoria Financeira da Sejusc.

O setor, segundo ela, é controlado pela cunhada de Silas Câmara.

Clizares Santana perde o cargo para Arthur Lins depois da contratação de serviços de sonorização por R$ 707,9 mil


Compartilhe
  • 236
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    236
    Shares