Tarifas abusivas e curto tempo de carência em estacionamentos privados da capital voltaram a ser tema de debate na Câmara Municipal de Manaus (CMM). O assunto entrou em pauta, ontem  terça-feira (16/10), após o vereador Bessa (SD) expor, mais uma vez, reclamações e questionamentos recebidos da população.

Segundo o parlamentar, a falta de organização e os preços incompatíveis com o serviço são inaceitáveis. “A população não se recusa em pagar as tarifas, mas exige que os valores e as condições sejam justas. Estamos de mãos atadas, a mercê da boa vontade de quem gere esses estabelecimentos”, apontou.

Durante a discussão, o vereador Professor Samuel (PHS) lamentou que hospitais particulares atuem cobrando estacionamento em suas dependências e relembrou a diminuição de 30 para 15 minutos da carência em shopping centers. “Tendo em vista que por muitas vezes o estacionamento está cheio e que perdemos quase a metade do tempo da carência procurando vaga, esse período deveria ser estendido. Os shoppings são conglomerados de lojas e seus produtos já agregam lucros enormes”, destacou.

Bessa ainda ressaltou que é preciso uma mobilização em âmbito nacional para tratar do assunto. “O artigo vinte e dois da Constituição Federal afirma que compete à União legislar sobre várias frentes de trabalho, inclusive a prestação de serviços desse tipo, de forma definitiva”, completou.