O prefeito Arthur Virgílio Neto (PSDB) respondeu por volta de 21h49 desta segunda-feira (23), em página do Facebook, o apelo do senador Omar Aziz (PSD), pré-candidato ao governo estado dizendo: “Declaro, então, que meu candidato será Omar Aziz”.

Depois de ser cortejado por outros candidatos, o governador Amazonino Mendes (PDT), que no último dia 14 de julho, chegou a fazer afago em Arthur Neto ao comparecer à comemoração de 40 anos de vida pública do líder do PSDB, no Amazonas, mas Arthur optou por apoiar Omar Aziz que nesta segunda-feira fez um apelo no Facebook pela volta da união governo prefeitura.

Aliados em 2014 na eleição de José Melo, cassado por compra de votos, adversários em 2016 na disputa da Prefeitura de Manaus, Arthur Neto volta a fazer aliança com Omar Aziz e espera poder repetir as vitórias.

Postagem de Arthur Neto

Escrevo após o expediente, porque não misturo política com meus deveres de gestor público. Respondo, neste momento, ao pronunciamento do senador Omar Aziz, pré-candidato ao governo do estado, a mim dirigido. Em seu documento, Omar relembra amplos momentos de ação conjunta, unindo seu mandato de governador ao meu de prefeito, entre 2013 e meados de 2014. Nesse período, promovemos significativas ações, já enumeradas pelo senador, valendo ressaltar que, em oito meses apenas, disponibilizamos água para 562 mil pessoas, nas zonas norte e leste da cidade. Foram momentos de harmonia e construção, a serviço dos manauaras. Declaro, então, que meu candidato será Omar Aziz. Todos sabem que nossa cidade, hoje, é admirada no Brasil inteiro por sua independência e por suas contas exemplarmente ajustadas. Neste verão, contamos com R$ 320 milhões de recursos próprios, para obras de drenagem macro e micro, tapa buracos, recapeamento e pontes. Apesar dessa autossuficiência, uma cooperação saudável e verdadeira será muito bem recebida pelo meu povo. Nada contra os demais candidatos, tudo a favor de Manaus e de ações conjuntas com o governo estadual, que não sejam fantasia, promessas vãs e engodo. Não peço nada para mim. Aceito, isto sim, a colaboração justa, que é direito de Manaus. É direito da nossa gente. Afinal, somos a cidade-estado que hospeda os governadores e está cansada da indiferença para com ela. Manaus exige o respeito que lhe é devido e que lhe tem sido negado. Em outubro, Manaus soltará seu grito.