O senador e candidato à reeleição, Eduardo Braga (MDB), defendeu na noite da quinta-feira, 30, a criação de um polo agroindustrial, em Rio Preto da Eva, como modelo de desenvolvimento para geração de emprego e renda. O modelo incorporaria os mesmos incentivos da Zona Fraca de Manaus (ZFM) como estratégia para atrair empresas para o beneficiamento de alimentos produzidos no município, tais como laranja, tangerina, limão, açaí, peixe, entre outros.

“Estamos no momento e na hora certa para criar o polo de agroindustrial com os incentivos da Zona Franca porque Rio Preto da Eva está inserida no quadrilátero da Zona Franca de Manaus. Ter a cidade asfaltada é importante, assim como os ramais asfaltamos são fundamentais para escoar os produtos. Mas para que possamos completar o ciclo de desenvolvimento é preciso criar emprego e renda”, disse.

O polo agroindustrial, segundo Eduardo, estaria inserido em um ciclo de desenvolvimento que contemplaria, entre outros eixos, uma ampla intervenção de infraestrutura no município que, já começou com a recuperação e pavimentação de ramais realizada pela atual administração do município. A estruturação das vias traria vantagens para o escoamento da safra até as empresas que, por sua vez, gerariam emprego e renda para a população, além de agregar valor aos produtos, redução do valor de transporte e desenvolvimento ao município.

O modelo ainda seria impulsionado pela duplicação da rodovia AM-010, que liga Manaus a Rio Preto da Eva. A partir da duplicação, afirma Braga, os produtos poderiam chegar a Manaus e outros municípios da Região Metropolitana (RMM) com garantias de rentabilidade para os agricultores, além da qualidade e transporte assegurados.

Eduardo chamou atenção para o atual estado da rodovia e afirmou que tem realizado reuniões na Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI), presidida por ele no Senado, para viabilizar melhorias na estrada. “É preciso duplicar e sinalizar a AM-010. Ela está perigosa, não tem mais sinalização”, destacou.