Compartilhe
  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    4
    Shares

O presidente da Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) do Senado, Eduardo Braga (MDB/AM), anunciou, nesta terça-feira (04/09), que vai cobrar civil e criminalmente a omissão do poder público pela falta de licenciamento da BR – 319, que liga Manaus (AM) a Porto Velho (RO).

“Minha indignação é muito grande. Está completando 19 anos que essa licença ambiental vem sendo postergada de uma maneira sistêmica pelos órgãos competentes. Enquanto isso, o nosso povo segue na lama e no esquecimento”, disse o senador.  “Se nós tivermos competência para ir à Justiça, nós vamos fazê-lo. Alguém vai ter que pagar por isso, porque não é possível tanta omissão e tanta irresponsabilidade com o povo brasileiro.”

O protesto ocorreu durante audiência pública com três ministros do governo na CI. Torquato Jardim (Justiça), Edson Duarte (Meio Ambiente) e Herbert Drummond (interino dos Transportes) debateram a sequência de erros e entraves burocráticos que dificultam a emissão dos documentos federais necessários para realização das obras na rodovia.

“É preciso abrir a caixa preta da BR-319. Durante anos fomos enganados e ludibriados”, reclamou o senador, referindo-se às várias audiências e promessas das autoridades.

Eduardo Braga solicitou do Governo Federal um cronograma detalhado das próximas etapas que envolvem a liberação das licenças e uma prestação de contas continuada das intervenções na via.  Para ele, o “descaso com a rodovia” é um crime de responsabilidade contra a nação.

Grupo de trabalho – No encerramento da reunião, o colegiado exigiu a conclusão em 90 dias dos estudos de impacto ambiental e sobre as populações indígenas. Além disso, definiu a constituição de um grupo de trabalho para acompanhar a situação do recapeamento da estrada. Fazem parte dele os ministros e técnicos de pastas envolvidas no planejamento e na execução do empreendimento. 


Compartilhe
  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    4
    Shares