A infraestrutura da estrada Codajás/Anori de acordo com moradores a empresa dos Lins começou os trabalhos em 2013 e até hoje não concluiu as obras (Montagem Fato Amazônico)

A empresa Império Construções e Serviços LTDA., hoje já com o nome de Concreterra – Construção e Terraplanagem LTDA (Receita Federal do Brasil)., de propriedade da belíssima e elegante Júlia Bandeira de Melo Lins de Albuquerque, mulher do empresário George Lins, pertencente ao clã dos Lins – um deputado estadual e outro federal – foi contemplada pelo governo Amazonino Mendes com três simpáticos contratos e um aditivo que, somados, ultrapassem a R$ 100 milhões.

Todos os contratos estão relacionados à recuperação e melhorias em Ramais no Amazonas, localizados nos municípios de Anamã e Anori/AM, além da implementação de infraestrutura viária da estrada que interliga dos dois municípios. Extensão da estrada Codajás/Anori é de 72 km.

Dois deles vencem em fevereiro do próximo ano.

Até aí nenhuma novidade. Afinal, contrato, a rigor, é um instrumento legal, lícito, rigorosamente submetido instituto da licitação antes de sua homologação, não é mesmo?

O problema que a empresa da chiquérrima Júlia Bandeira de Melo Lins de Albuquerque não cumpriu o contrato iniciado no dia 14 de maio de 2013 assinado com o governo do estado para implementação de infraestrutura viária da estrada de Coadjás/Anori/AM.

O valor original do contrato era de R$ 55.515.898,24 e depois de aditado foi para R$ 69.281.641,71. De lá para cá, foram desembolsado em favor da empresa R$ 63.151.954,77 e estrada é só lama.

Algum asfalto foi colocado, mas como pode ser comprovado nas fotos, não só a estrada foi abandonada, mas, também, os equipamentos, como fábrica de asfalto e máquinas, utilizados no serviço contratado.

Por conta dos novos contratos e do bondoso aditamento, a população de Codajás e Anori se mobilizaram para uma grande concentração de protesto, marcada para o dia 1º de setembro. 

A reportagem do Fato Amazônico tentou contato com a empresa Império Construções, pelo telefone 92 – 3233-99×7 para saber a respeito das denúncias dos moradores de Codajás/Anori de que desde 2013 a empresa asfaltou apenas 21 quilômetros da estrada que liga os dois municípios, mas o telefonema não foi atendido.

Documentos