O documento foi assinado pelo diretor da Esmam, desembargador Flávio Pascarelli, e a mantenedora da FST, Maria do Carmo Seffair Lins de Albuquerque

A Escola Superior da Magistratura do Amazonas (Esmam) e a Faculdade Santa Teresa (FST) assinaram esta semana um termo de cooperação técnica, jurídico-científica e pedagógica com a finalidade de desenvolver projetos visando o aperfeiçoamento no estudo do Direito aos acadêmicos da instituição de ensino e profissionais do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM).

O documento foi assinado pelo diretor da Esmam, desembargador Flávio Pascarelli, e a mantenedora da FST, Maria do Carmo Seffair Lins de Albuquerque, no último dia 9/10, no Centro Administrativo Desembargador José Jesus Ferreira Lopes, anexo ao edifício-sede do Poder Judiciário estadual, bairro do Aleixo, com a presença da ministra do Superior Tribunal Militar (STM) Maria Elizabeth Guimarães Teixeira Rocha.

“Trata-se de um convênio guarda-chuva que vai abarcar inúmeros projetos de graduação, pós-graduação, jornadas e pesquisas. Além disso, a FST irá compartilhar com a Esmam desde biblioteca até acervos online, além de eventos com grandes nomes em âmbito nacional, o que é de extrema importância para a formação dos nossos alunos”, explicou a professora e coordenadora do curso de Direito da FST, Lúcia Viana, ressaltando que a faculdade foi inaugurada em Manaus há pouco mais de um mês.

A diretora da instituição, professora Amanda Estald, frisou a importância do convênio pelo estreitamento que proporciona entre os alunos e o mercado. “Vai haver um estreitamento de laços, e os alunos poderão conviver com grandes expoentes do Direito, tendo acesso direto à realidade do mercado de trabalho em que irão atuar”.

Já a mantenedora da instituição, Maria do Carmo Seffair Lins de Albuquerque, enfatizou a importância do convênio por representar um desenvolvimento e maior consciência crítica dos estudantes de Direito. “Esse é mais um passo dentro da nossa proposta pedagógica de oferecer um ensino realmente diferenciado aos nossos alunos, mas continuamos trabalhando em outros projetos e teremos mais novidades”, adiantou.

De acordo com Maria do Carmo, a FST vai estabelecer convênios com universidades de exterior com o objetivo de trazer cursos e projetos com a participação de especialistas em vários ramos do Direito, sendo que o primeiro deles já ocorrerá em novembro com a Universidade de Bolonha. A instituição é considerada a universidade mais antiga da Europa, tendo sido fundada em Bolonha, na Itália, em 1088.

O desembargador Flávio Pascarelli enalteceu o convênio com a Esmam no sentido de que aproxima a academia da magistratura, especialmente pela proposta da FST em formar pensadores e líderes. “Entendo que, desde os primeiros anos de estudo, o aluno de Direito já precisa ter contato com diversas ideias. A FST tem uma proposta inovadora nesse sentido e cada um de nós pode fazer a sua parte, contribuindo para que o ensino e a prática jurídica no Amazonas se tornem melhores. No final, quem ganha com isso é a sociedade”.

Também estiveram presentes à assinatura do convênio, além da ministra Maria Elizabeth Guimarães Teixeira Rocha, que proferiu palestra na escola sobre direito das mulheres nos 30 anos da Constituição Brasileira, o professor de Direito da FST Rodrigo Bastos e o general de Divisão do Exército Romeu Costa Ribeiro Bastos.

O curso de Direito da FST conta, neste primeiro momento, com quatro turmas – duas pela manhã e duas à noite -, totalizando 120 alunos, que têm aulas de História do Direito, Teoria do Direito, Metodologia, Sociologia, Ciências Econômicas e Antropologia Jurídica.