O caos toma conta do Hospital Odilon Alves de Araújo que está prestes a perder equipamentos fundamentais para o atendimento da população (Foto Jimmy Christian)
Compartilhe
  • 5
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    5
    Shares

As comunidades ribeirinhas do município de Manacapuru (a 84 quilômetros de Manaus) temem um surto de sarampo devido à falta de vacina contra a doença que assola o Estado. O assunto foi levado à tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas pela deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB) ao anunciar um relatório da mais recente viagem feita ao município durante a sessão de ontem (7).

Mas de acordo com a parlamentar não é apenas os ribeirinhos de Manacapuru que estão com problema na saúde, os moradores de município de Caapiranga (a 133 quilômetros de Manaus) estão sofrendo com a falta de atenção básica no sistema de saúde. O Hospital Odilon Alves de Araújo está prestes a perder equipamentos fundamentais para o atendimento da população, como mamógrafo, máquinas de ultrassonografia, raio-X.

População rural de Manacapuru sem vacina

“A população rural de Manacapuru, boa parte, não foi vacinada contra o sarampo. Então a gente fala aqui na cidade, mas na zona rural também está tendo esse problema. A prefeitura de lá não está cumprindo isso da forma correta e é necessário que o Governo imediatamente faça uma intervenção nessa situação”, advertiu Alessandra.

O alerta faz sentido, pois segundo o Ministério da Saúde o Amazonas lidera o ranking de casos confirmados de sarampo. Dos 1.053 casos confirmados da doença no País, 742 foram registrados no Estado. Em segundo lugar aparece Roraima, com 280 registros. Há ainda casos considerados isolados em São Paulo (1), no Rio de Janeiro (14), no Rio Grande do Sul (13), em Rondônia (1) e no Pará (2).


Compartilhe
  • 5
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    5
    Shares