Alexandre, o "Gordinho" (no detalhe) foi um dos mortos em Balbina, ele foi preso em fevereiro de 2016 com João Branco na fronteira do Brasil com a Venezuela (Montagem Fato Amazônico)
Compartilhe
  • 75
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    75
    Shares

Alexandre de Oliveira Lemos, 35, o “Gordinho”, que foi preso em fevereiro de 2016 pela Polícia Federal juntamente com João Pinto Carioca, o “João Branco” quando voltava da Venezuela para o Brasil é dos mortos no triplo homicídio ocorrido na madrugada deste domingo em um sítio localizado no km 49 da rodovia AM-240 (estrada de Ballbina) onde morreram ainda Keysse Dhione Maquiné Pereira, de 40 anos Eduardo Maquiné Pereira, de 48 anos.

“Gordinho”, também foi preso em flagrante juntamente com Dioquides Morreira Souza, 29, o “Dion”; Fredison Santiago Ribeiro, 31; Jesson Rodrigues dos Santos, 33, o “Gelson”; Gesson Souza da Silva, 32; Glauter Jorge de Oliveira, 27, e Migueias Nascimento Ramires, 32, com três pistolas PT 40 e um revólver calibre 38.

A prisão do grupo foi realizada por policiais do Departamento de Repreensão ao Crime Organizado (DRCO dia 6 de julho do ano passado em um bar na rua Graciliano Ramos, na comunidade Novo Reino, bairro Tancredo Neves, Zona Leste.

Alexandre, o “Gordinho” dia 12 de dezembro do ano passado deixou as dependências do Centro de Detenção Provisória Masculino, onde estava preso desde julho.

Mensagem no Instagram e Facebook

Uma mensagem foi postada no Facebook, de Alexandre Oliveira, que os integrantes da Família do Norte (FDN) chamavam de “Mano Ála” diz que ele foi vítima de uma emboscada e que morreu sem a chance de se defender.

Deixa condolências e pêsames a família em nome de João Branco, que eles chamam de “JB”.

Diz ainda que na emboscada só escapou as crianças e a esposa, que teriam se escondido dos matadores.

O triplo homicídio

Na madrugada deste domingo (18), homens armados invadiram um sítio localizado no km 49 da rodovia AM-240 (estrada de Bablbina) e mataram Alexandre de Oliveira Lemos, de 37 anos, o “Gordinho” e Keysse Dhione Maquiné Pereira, de 40 anos e ainda feriram Eduardo Maquiné Pereira, de 48 anos, que não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital Geral Eraldo Neves Falcão, em Presidente Figueiredo.

De acordo com policiais da 37ª Delegacia Interativa de Polícia, de Presidente Figueiredo, a invasão ocorreu por volta de 4h, no sítio em Balbina.

Uma quarta vítima, identificada como Lucas Lemos, foi alvejado com dois tiros no tórax e depois de medicado em Presidente Figueiredo foi transferido para o pronto-socorro em Manaus.


Compartilhe
  • 75
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    75
    Shares