O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), também conhecido como indicador da inflação do aluguel, subiu 0,51% em julho. O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis. Essa variação representa uma desaceleração em relação a junho, quando a alta havia sido de 1,87%, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV). A desaceleração reflete a redução de todos os índices que contribuem para a formação do indicador, com destaque para queda nos preços de alimentos e insumos.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60% do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, apresentou variação positiva de 0,50%, contra 2,33% no mês anterior.

O destaque ficou para os produtos agropecuários, cujos preços recuaram 1,83%, depois de terem subido 3,03% em junho.

A FGV informou ainda que o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30% no índice geral, desacelerou a alta a 0,44%, contra 1,09 por cento antes, com recuo em sete das oito classes de despesa que compõem o índice.

A principal contribuição para o movimento veio do grupo de alimentação, que registrou queda de 0,19%, ante avanço de 1,55% no mês anterior.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) avançou 0,72% em julho, depois de subir 0,76 antes. (veja.com)