A juíza Ana Paula Serizawa, da 4ª Vara da Justiça Federal do Amazonas atendeu nesta segunda-feira (15) a pedido do Ministério Público Federal e converteu a prisão temporária do empresário Murad Abdel Aziz, irmão do senador Omar Aziz, em preventiva. Ele foi preso na última quinta-feira (11) na operação Cashback, que apura desvios milhões da Saúde no Amazonas.

Em decisão a magistrada diz que existe “risco à ordem pública e à aplicação da lei penal caso o custodiado (Murad) seja posto em liberdade, devido a gravidade concreta de sua suposta conduta ilícita e aos indícios de destruição e ocultação de provas apresentadas”.

Ana Paula Serizawa ao falar de ocultação de prova afirma na decisão que o cofre da casa de Murad Aziz estava vazio no momento da execução do mandado de busca e apreensão.

A magistrada cita ainda em sua decisão falando na questão de ocultação de provas que “estranhamente” a academia de ginástica AZ Fitness, de propriedade de Murad e que foi também alvo de busca e apreensão se encontrava fechada para o público no dia da deflagração da operação ‘Cashback’, sob alegação de danos da rede elétrica, os quais não teriam sido detectados no momento da execução dos mandados pela própria Polícia Federal.

Aviso

A distribuição de uma nota divulgada de que a AZ Fitness – academia de propriedade de Murad – não funcionaria no dia da operação, por conta de pane elétrica, causado na subestação e no gerador da casa, é o principal vestígio da fuga, chamou a atenção da PF, que fez busca na academia, e do Ministério Público Federal.