A Prefeitura de Manaus está reforçando o processo de qualificação contínua dos serviços oferecidos pelos laboratórios da rede municipal de saúde, onde são realizados mais de 3 milhões de exames por ano.

Com esse objetivo, nas últimas duas semanas, equipes técnicas dos laboratórios dos distritos Norte, Sul, Leste, Oeste e de Vigilância vêm participando do Treinamento em Boas Práticas em Laboratório, promovido pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), em parceria com a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS).

Além dos técnicos dos cinco laboratórios municipais, participam equipes de fiscais da Vigilância Sanitária (Visa Manaus) e do interior do Estado. As aulas, teóricas e práticas, serão encerradas nesta sexta-feira, (09/11).

“Queremos que os laboratórios da rede pública aprimorem permanentemente seus processos e resultados para manter diagnósticos precisos, e, ao mesmo tempo, que os fiscais estejam atualizados e cada vez mais qualificados para o processo de inspeção nesse tipo de serviço”, explica o secretário municipal de saúde, Marcelo Magaldi.

O treinamento abrange os ciclos de funcionamento dos laboratórios clínicos (que trabalham com amostras biológicas, como sangue, fezes e urina), analíticos (que fazem análise de produtos como água e alimentos) e patológicos (responsáveis por testes em amostras anatômicas, como as biópsias).

Duas especialistas na área, a bióloga Solange Mendes e a farmacêutica Cínthia Cavada, com décadas de experiência na Vigilância Sanitária de Porto Alegre (RS), vieram para Manaus para ministrar as aulas teóricas e práticas.

A farmacêutica Nádia Soares, gerente de Vigilância em Serviços da Vigilância Sanitária municipal (Visa Manaus), setor responsável pela inspeção de laboratórios da rede pública e privada da capital, destaca a preocupação do órgão com os laboratórios, em especial os de análises clínicas. “Esses laboratórios trabalham com variáveis que podem afetar a qualidade dos resultados e consequentemente o tratamento do paciente e por isso são considerados de alto risco”.

De acordo com Nádia, dentre as variáveis de impacto estão as condições do posto de coleta, o transporte, o armazenamento e a análise das amostras.     “Se esses e outros fatores não forem bem controlados, pode haver erro de diagnóstico”, diz a gerente, acrescentando que estes itens fazem parte da verificação de conformidade com as normas sanitárias.

Confiáveis

Os laboratórios distritais participam de programas de qualidade e, segundo a gerente de Apoio Diagnóstico da Semsa, Ana Paula Neves, oferecem alta confiabilidade nos testes.

No final do ano passado, os laboratórios dos quatro distritos de saúde e o laboratório da Maternidade Moura Tapajóz receberam o Certificado de Excelência do Programa Nacional de Controle de Qualidade (PNCQ) pelo grau de precisão das suas análises.

Para Ana Paula, a confirmação de que os laboratórios públicos municipais obedecem a parâmetros elevados de qualidade refletem o compromisso e a qualificação técnica dos servidores e o investimento permanente na melhoria de processos e equipamentos.