O presidente da Argentina, Mauricio Macri, conversou nesta terça-feira com seu homólogo dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a situação econômica do país sul-americano e “temas relevantes da agenda global”, informaram fontes oficiais em comunicado.

Na conversa, que durou 15 minutos, Trump expressou que “está a par da conjuntura” da Argentina e aceitou o convite de Macri de realizar uma visita de Estado em novembro, no marco da Cúpula de Líderes do G20, em Buenos Aires.

A conversa acontece em meio à crise causada pela desvalorização do peso argentino e no mesmo dia em que uma equipe liderada pelo ministro da Economia, Nicolás Dujovne, se reunirá em Washington com a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, para renegociar o acordo financeiro assinado em junho.

“Ambos os chefes de Estado devem continuar mantendo contato e expressaram seus desejos de voltar a se encontrar durante a próxima Assembleia Geral das Nações Unidas em Nova York no final de setembro”, acrescenta o comunicado.

Em entrevista em Buenos Aires após a reunião de gabinete desta terça-feira, o ministro do Interior, Rogelio Frigerio, afirmou que Trump manifestou seu “apoio total” neste momento “complexo que a Argentina está vivendo” e na gestão Dujovne.

“As expectativas que temos é de poder fechar um acordo complementar ao que tínhamos e que dê à Argentina a possibilidade de fechar seu programa financeiro e não te a necessidade de assumir dívidas até 2020, é necessariamente uma notícia esperada pelo mercado e acredito que servirá para sair do clima de incerteza”, destacou Frigerio.

Esta não é a primeira vez que os chefes de Estado dialogam sobre a situação econômica argentina.

Em maio, quando foram reveladas as negociações entre o governo de Macri e o FMI para conseguir um crédito que permitisse enfrentar a forte queda do peso em relação ao dólar iniciada no final de abril, Trump respaldou no Twitter a gestão do presidente argentino.

“Grande conversa com meu amigo, o presidente Mauricio Macri da Argentina, nesta semana. Ele está fazendo um bom trabalho na Argentina. Apoio sua visão para transformar a economia de seu país e libertar seu potencial!”, ressaltou o político americano.

Pouco depois, na mesma rede social, Macri agradeceu a Trump pelo “apoio e afeto” mostrado em relação à sua política econômica.

Na última sexta-feira, a Casa Branca oficializou a visita que Trump fará em novembro à Argentina pela cúpula do G20.

“A Cúpula do G20 será uma oportunidade para que o presidente destaque suas políticas econômicas a favor do crescimento em um cenário internacional e se reúna bilateralmente com outros líderes mundiais importantes”, afirmou em comunicado a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders.

A reunião do G20, integrado pelos chefes de Estado e de Governo dos países com as principais economias do mundo, tanto desenvolvidas como emergentes, vai acontecer em Buenos Aires entre 30 de novembro e 1º de dezembro. (EFE)