Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A doméstica, Geliane Pereira da Silva, 18 anos, foi presa por policiais militares da 8ª Companhia Independente de Polícia Militar, acusada de infanticídio (matar o próprio filho recém-nascido). Revoltada com o pai, que não queria assumir a paternidade filho, cortou a garganta da criança de 8 dias de nascido e o enterrou em caixa de sapatos.

A prisão ocorreu no terreno da casa onde ela morava, localizada no quilômetro 37 da Am 070 (Manaus/Manacapuru), na comunidade do Ariaú/Iranduba.

Os policiais chegaram a acusada, depois uma denúncia anônima. Ele se deslocaram ao quilômetro 37 onde encontraram o corpo do recém-nascido dentro de uma caixa de sapatos.

Ainda no local, Geliane, confessou aos policiais militares que seu filho estava com 8 dias de nascido, quando resolveu matá-lo. “Ela disse que cortou a garganta da criança na pia de sua casa e depois a enterrou no quintal”, disse o major Santiago, comandante da CIPM.

“Perguntei qual o motivo que levou a matar a criança com tanta crueldade, e ela disse que estava revoltada por que o pai estava negando a paternidade”, acrescentou o major.

Geliane, foi apresentada no 31° Distrito Integrado de Polícia, no Iranduba, onde o auto de prisão em flagrante foi lavrado.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •