Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Ministério da Educação (MEC) iniciou o processo para retomar projetos que estão engavetados na  Universidade Federal do Amazonas (Ufam) por  falta de recursos financeiros. A medida ocorreu após o deputado federal Gedeão Amorim (MDB) visitar a sede do ministério, na manhã de ontem (21), para apresentar uma série de demandas da universidade que estão comprometendo o desenvolvimento de acadêmicos. 

A reunião sobre o problema aconteceu com o titular da Secretaria de Educação Superior (Sesu) do MEC, professor Paulo Barone. Gedeão explicou a ele que por falta de verbas, a Ufam está com grandes projetos engavetados, como o Plano de Ação em CT&I para a Amazônia (PCTI), programa que tem o objetivo de promover a ciência, tecnologia e a inovação como vetor de desenvolvimento do Estado do Amazonas, com base nos preceitos de sustentabilidade e competitividade.

“Na atual situação, a reitoria tem priorizado o pagamento da pasta e tem sobrado muito pouco recurso para investir em demais programas, o que é lamentável, pois, além de afetar o desenvolvimento acadêmico dos alunos, afeta a área de pesquisa do nosso Estado. Queremos resgatar esses projetos”, afirma o parlamentar.

Além de levar a demanda do PCTI, o parlamentar tenta conseguir junto ao secretário Paulo Barone, mais verba para a adequação da faculdade de estudos sociais. “Recebi toda a atenção possível e ele se comprometeu em examinar os pleitos e ver o que poderá ser feito logo nas próximas semanas”, informa Gedeão.

Por sua vez, o secretário da Sesu, Paulo Barone, informou que obteve informações importantes a respeito de projetos que estavam suspensos na Ufam e disse que deu encaminhamento aos departamentos responsáveis do Ministério para que as providências mais urgentes sejam tomadas. “Faremos um levantamento sobre estes assuntos e com certeza encontraremos um meio para viabilizar essas demandas”, concluiu Barone.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •