Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, deixou nesta quinta-feira a Coreia do Norte com destino a Seul, após concluir sua cúpula de três dias com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, encontro que serviu para impulsionar os laços bilaterais e reiniciar o diálogo entre Pyongyang e Estados Unidos.

O jato do presidente sul-coreano decolou rumo ao seu país às 15h30 (horário local, 3h30 de Brasília), segundo informou o gabinete da presidência.

O avião deixou o Aeroporto de Samjiyon, perto da fronteira com a China, onde Moon e Kim visitaram o famoso Monte Paektu, um vulcão reverenciado por sua beleza e simbolismo pelos dois lados da península, encerrando desta forma a cúpula.

Moon deve aterrissar na Base Aérea de Seongnam e ainda não foi confirmado se ele vai falar com os jornalistas no centro de imprensa estabelecido pelo seu governo no centro da capital sul-coreana.

A cúpula serviu para mostrar a boa sintonia entre os dois líderes e a aproximação crescente entre os países, tecnicamente ainda em guerra, e que assinaram ontem uma declaração conjunta potencializando os laços bilaterais e também um tratado para diminuir as tensões militares.

A declaração também mostra que a Coreia do Norte está disposta a desmantelar mais instalações de seu programa nuclear, em troca de que Estados Unidos implementem o estipulado na cúpula realizada em Singapura, no mês de junho, principalmente no que se refere a assinar um tratado de paz que garanta a sobrevivência do regime.

Tanto o presidente americano, Donald Trump, como o secretário de Estado daquele país, Mike Pompeo, receberam positivamente o resultado da cúpula e disseram que Washington já está buscando reiniciar o diálogo com Pyongyang sobre sua desnuclearização.

Por sua parte, Moon viajará para os EUA, onde se reunirá com Trump na próxima segunda-feira, antes do início da Assembleia Geral da ONU. (EFE)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •