Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Barreirinha – O juiz André de Campos, da Comarca de Barreirinha, concedeu mandado de reintegração a prefeitura para o órgão tome de volta uma área de terra ocupada, próximo a Vila Olímpica e o terreno da Universidade do Estado do Amazonas, há cerca de dois meses por centenas de moradores da sede do município. Mas o clima na área ficou tenso, quando à oficial de justiça chegou a área acompanhada de policiais militares e secretários municipais, os invasores não gostaram do que ouviram e prometeram ir ao Tribunal de Justiça e se preciso até Brasília, para derrubar a decisão a favor do prefeito Mecias Sateré (PSD), autor da ação. "Limpamos a área e agora o prefeito quer as terras por ser do município. Mas é da prefeitura somente depois de limpo", disparou um ocupante, revoltado,

Os invasores afirmam que existe um acordo com a Secretaria Municipal de Cultura Turismo e Meio Ambiente e o setor de terras da prefeitura, onde é garantida de que os proponentes dos lotes fariam um cadastro, mas eles acabaram sendo surpreendidos na última quarta-feira com o mandado de reintegração de posse.

O professor Enildo Beltrão, um dos membros da comissão que coordena a ocupação dos lotes disse não concordar com a determinação da justiça. “Vamos se preciso for até Brasília para que todos tenham o direito no seu pedaço de chão, pois não é justo as famílias fazerem a limpeza dos lotes e agora a prefeitura tomar conta de novo, é um prejuízo para todos que almejam seus terrenos neste local”, disparou.

A ordem judicial começou a ser cumprida na tarde da última quarta-feira 19, quando a oficial de justiça compareceu ao local e reuniu dos moradores ao lado do campo do bairro Nova Conquista para entregar o documento.

Os moradores ficaram eufóricos e não deixaram a equipe da Secretaria de Cultura e da prefeitura a usarem o microfone, somente a oficial de Justiça que usou da palavra e explicou aos presente o teor do mando de reintegração de posse.

Algumas partes da área invadida fica em pontos alegados, mas mesmo assim as pessoas querem permanecer

Pedido de reintegração

Aderaldo Tavares, informou que o pedido de reintegração de posse foi feito pela procuradoria Geral do Município por determinação do prefeito Mecias Sateré.

De acordo com o secretário, os invasores tem 5 dias para deixar o local e a comissão que representa os moradores tem 15 dias para recorrer da decisão. “Nestes dias vamos demarcar a área de propriedade da prefeitura e cumprir com o que determina a reintegração do local, expedido pelo juiz. Sou secretário de meio ambiente e tenho de cuidar da questão ambiental e nós tentamos o diálogo com a comissão, reunimos por cinco vezes e pedimos que se retirasse pacificamente, e isso não aconteceu, infelizmente temos que cumprir o que diz a lei”, explica.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •