O ministro do Reino Unido para o Brexit, Dominc Raab, afirmou que não considera “crível” a explicação das autoridades da Arábia Saudita sobre a morte do jornalista Jamal Khashoggi.

“Não acredito que seja crível”, disse Raab à emissora pública “BBC”, depois que a Procuradoria Geral saudita assegurou que Khashoggi morreu durante uma “briga” no consulado do país árabe em Istambul, na Turquia.

O ministro britânico ressaltou que se trata de um “caso terrível”, mas considerou que o Reino Unido não deve romper suas relações com Riad.

Londres não vai “cortar” sua “relação com a Arábia Saudita, não só pela enorme quantidade de postos de trabalho britânicos que dependem disso, mas porque, se você quer exercer influência sobre os seus sócios, deve ser capaz de falar com eles”, afirmou o ministro.

Tanto o Partido Trabalhista como o Partido Liberal Democrata exigiram que o governo britânico bloqueie a venda de armas para a Arábia Saudita, mas Raab garantiu que o regime de exportações do Reino Unido “é um dos mais rigorosos” do mundo.

“O problema com a postura dos trabalhistas é que isso custaria milhares de postos de trabalho no Reino Unido. Por isso, nós queremos, por outro lado, respaldar a investigação (sobre a morte de Khashoggi), descobrir o que ocorreu”, afirmou o ministro. (EFE)