Wesley Safadão chegou a um acordo ontem (27) com Mileide Mihaile sobre a pensão do filho mais velho, Yhudy, e vai pagar 40 salários mínimos mensais à ex-mulher. Após a audiência, o cantor emitiu um comunicado através de sua assessoria. “Em respeito ao ilustre promotor da Vara e a meritíssima juíza, Wesley Oliveira se resguarda a não divulgar os termos acordados no processo que antes corria em segredo de justiça e que agora segue em sigilo”, afirmou a nota. O cearense, que havia gravado um vídeo emocionado sobre a disputa judicial nesta semana, também se posicionou no material divulgado: “A conciliação foi feita pensando a todo momento no bem-estar de Yhudy. Graças a Deus tudo terminou bem, quero preservar a integridade emocional do meu filho e nesse momento só desejo que a paz volte a reinar!”.

Thyane não foi citada em acordo: ‘Informações não são verdadeiras’

Os representantes de Wesley também esclareceram que a atual mulher dele, grávida de Dom, segundo filho do casal, não foi envolvida na decisão judicial. Alguns veículos indicaram que, depois da audiência ela teria sido proibida de buscar Yhudy na escola. “Em nenhum momento foi citado o nome de Thyane Dantas no acordo, logo, as informações que foram publicadas não são verdadeiras”, completou o informe.

Decisão de ficar em Fortaleza foi por herdeiro: ‘Não levou adiante’

Anteriormente, uma suposta mudança do cantor para São Paulo foi negada por sua assessoria: a decisão de ficar em Fortaleza aconteceu para que ele não se afastasse do menino. “O amor pelo seu filho é tamanho que ele não levou adiante a ideia de mudar-se para São Paulo para não ter nada que o afastasse do primogênito. Wesley sempre faz de tudo para estar perto de Yudhy, inclusive em sua agenda de shows, aos domingos, sempre que possível, as apresentações acontecem mais cedo para que, no dia seguinte, ele possa tomar o café da manhã com os filhos e levá-los para a escola”, afirmou.

Mileide rejeitou apartamento

De acordo com informações da colunista Fabiola Reipert no programa ‘Balanço Geral SP’, a proposta inicial oferecida pelo forrozeiro foi de um apartamento e uma pensão de 35 mil reais por mês. A jornalista indica que a quantia não foi aceita e o pedido de pensão dela chegou a R$ 100 mil. Ambas as partes, ao fim da audiência, cederam a quantia final ficou avaliada em cerca de R$ 38 mil por mês.

(Por Marilise Gomes)