Compartilhe
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    1
    Share

Apontado como líder de uma quadrilha de assaltantes, o detento do regime semiaberto Junior Gonçalves, 36, foi preso ontem quinta-feira (20/09) por policiais da Secretaria Executiva Adjunta de Operações (Seaop) e do 26º Distrito Integrado da Polícia Civil, do bairro Santa Etelvina, zona norte. Segundo as investigações, o grupo criminoso é responsável por mais de 50 roubos praticados a residências e comércios da capital. Outro integrante do bando, Moisés Simpson Rodrigues, foi preso em março.

As equipes da Seaop efetuaram a prisão de Junior Gonçalves no bairro do Zumbi, zona leste de Manaus, logo nas primeiras horas da manhã. Com ele, o irmão, Jefferson Gonçalves também foi detido. É que Junior costumava usar o nome do irmão para tentar se safar da polícia. Ele já foi condenado por roubo, furto, tráfico de drogas e estava em regime semiaberto.

Foragidos – Conforme as investigações, a quadrilha é formada por quatro indivíduos. Ainda estão sendo procurados Adria Célia e Mateus Carlos da Silva, que são considerados foragidos. Eles atuavam em conjunto selecionando locais para roubos e cometiam os crimes armados e com extrema violência, conforme o secretário de segurança, Coronel Anézio Paiva.

“Em março teve a prisão do Moisés e, graças ao trabalho investigativo das duas equipes, prendemos o chefe, que é o Junior Gonçalves. Eles têm mais de 50 roubos na cidade de Manaus. É do regime semiaberto por roubo, furto e tráfico de drogas. Pedimos que a população preste informações do paradeiro dos demais membros da quadrilha”, destacou Paiva.

Um dos últimos crimes praticados pelos membros ocorreu em março, antes da prisão de Moisés. A vítima, um homem de 35 anos, disse que o bando entrou na casa dele e fez nove pessoas reféns, incluindo um bebê de um ano e sete meses. “Eles agiram com violência, amarraram e bateram na gente. Vê-lo preso é gratificante e agradecemos a polícia por isso, porque eles nunca deixaram de procurá-los. Agora esperamos que os demais sejam presos”, disse o homem.

Inteligência – A captura de Júnior Gonçalves é resultado de um trabalho de Inteligência da Seaop em parceria com o 26º DIP da Polícia Civil. A estratégia segue a nova metodologia do programa GuardiAM 24 horas e vai focar na prisão de outros membros de organizações criminosas, de acordo com o coordenador de Operações da Seaop, Álvaro Stheinheuser.

“Eles atacavam residências, comércios, sempre com uma avaliação prévia de vulnerabilidade. Essa quadrilha já estava tomando a forma de organização criminosa. Eles analisavam os alvos antes, analisavam a ação, tinham elementos apoiadores e carros para resgatá-los após os assaltos. Nas ações imprimiam muita violência com as vítimas, deixando-as amordaçadas e fazendo lesão corporal”, ressaltou.

Investigações prosseguem – De acordo com o delegado titular do 26º DIP, Bruno Fraga, durante o interrogatório, Junior confessou a participação em, pelo menos, 50 assaltos na capital. “As investigações continuam e vamos chegar a todos aqueles que, de alguma forma, participaram desse crime. Um dos álibis do Junior é que ele estaria preso, mas conseguimos um documento mostrando que ele estava nas ruas, temos imagens dele, reconhecimento dele, inclusive do irmão, que ele dava o nome para tentar se safar”, disse.

Linha direta – Braço operacional da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), a Seaop possui uma linha direta para denúncias da população. As informações podem ser repassadas por mensagens de WhatsApp para o número (92) 99345-2848. Através deste canal, a população pode fornecer informações que levem a prisão Adria Célia e Mateus Carlos da Silva, os outros membros da quadrilha que ainda estão foragidos.

Descrição da fotografia dos suspeitos:

Adria Célia: Selfie. Mulher veste camiseta, com tatuagem no ombro esquerdo.

Mateus Carlos da Silva: O homem veste camisa vermelha, com óculos, cabelo tingido de loiro.


Compartilhe
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    1
    Share